Economia

País tem recorde de informalidade com 38,833 milhões no trimestre até novembro

O País alcançou uma taxa de informalidade de 41,1% no mercado de trabalho no trimestre até novembro, com um recorde de 38,833 milhões de trabalhadores atuando na informalidade, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado foi puxado por aumentos tanto na população de trabalhadores atuando por conta própria quanto na de pessoas trabalhando sem carteira assinada no setor privado.

O trabalho por conta própria alcançou o ápice de 24,597 milhões de brasileiros no trimestre encerrado em novembro. Em apenas um ano, o trabalho por conta própria ganhou a adesão de 861 mil pessoas. Em um trimestre, foram 303 mil trabalhadores a mais nessa condição.

O trabalho sem carteira assinada no setor privado cresceu para 11,812 milhões de ocupados nessa situação. O emprego sem carteira no setor privado aumentou em 178 mil vagas em um ano. Em um trimestre, foram 17 mil trabalhadores a mais.

O setor público abriu 15 mil vagas em um trimestre, mas dispensou 43 mil em relação a um ano antes. Já o trabalho doméstico absorveu mais 69 mil pessoas em um trimestre. No período de um ano, há 112 mil pessoas a mais no trabalho doméstico.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago