Edição nº 1129 12.07 Ver ediçõs anteriores

País fossilizado

País fossilizado

Bruma assassina: poluição atmosférica na cidade de São Paulo. Mais mortes do que o trânsito

Entre 2013 e 2017, o Brasil gastou R$ 342,36 bilhões em subsídios para combustíveis fósseis, por meio de renúncias fiscais e gastos diretos. Uma pesquisa lançada pelo Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc) estima que são R$ 68,6 bilhões a cada ano, o equivalente a 1% do PIB e a quase dois programas Bolsa-Família. Após a greve dos caminhoneiros, o momento é considerado oportuno pelo Inesc para discutir os impactos dessas estratégias e os seus reais benefícios para a economia, para a criação de empregos e para baixar os custos de energia para as famílias e empresas. Esses dados também podem nortear estratégias para utilizar recursos financeiros no mesmo nível para substituir esses combustíveis por fontes de energia alternativas.

Segundo um relatório publicado pela revista científica The Lancet, a poluição matou 101.739 pessoas no Brasil em 2015, o equivalente a 7,49% do total de mortes no País. Com base em dados da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), o Instituto Saúde e Sustentabilidade afirma que os poluentes atmosféricos causam 31 mortes precoces por dia no Estado de São Paulo. Foram 11.200, em 2015, mais o que as mortes causadas por acidentes de trânsito (7.867). O setor de óleo e gás se beneficia de regimes especiais de tributação, como o Repetro – Regime Aduaneiro Especial de Exportação e de Importação, voltado à pesquisa e lavra de jazidas de petróleo e de gás natural, que venceria em 2020, mas foi renovado, no ano passado, até 2040.

(Nota publicada na Edição 1075 da Revista Dinheiro)


Mais posts

1,2 trilhão de árvores para conter o aquecimento global

O plantio massivo de mudas de árvores em espaços que ainda não foram urbanizados ou tomados pela agropecuária pode ajudar o mundo na [...]

Terras indígenas e áreas de proteção ambiental em xeque na Amazônia

A expansão das atividades na Floresta Amazônica coloca em risco mais de ⅔ das reservas indígenas e de áreas protegidas, segundo um [...]

Frio aquecido

A Kroton, dona de bandeiras educacionais como Anhanguera, Fama e Unopar, fechou uma parceria com a Cruz Vermelha Brasileira para arrecadar doações de casacos, calçados, cobertores e outras roupas de frio, nos tamanhos adulto e infantil, que estejam em bom estado de conservação. A organização humanitária também aceita roupas e sapatos — especialmente nas regiões […]

Fundação Toyota lança EAD gratuito

A Fundação Toyota do Brasil, braço social da montadora multinacional japonesa Toyota, está comemorando 10 anos de existência. Para [...]

O mundo respira por aparelhos

Em dezembro de 2018, um relatório da organização Global Carbon Project, que foi produzido por 76 cientistas de 15 países, apontou que o [...]
Ver mais