Mundo

Pacote-bomba em Lyon deixa 13 feridos

Pelo menos treze pessoas ficaram feridas sem gravidade nesta sexta-feira (24) na explosão de um pacote bomba em uma movimentada rua de pedestres de Lyon, na França, a dois dias das eleições europeias.

O atentado aconteceu nesta sexta, às 15H30 GMT (12H30 horário de Brasília) em frente a uma padaria em uma rua de pedestres em pleno centro de Lyon, uma das maiores cidades da França. O pacote continha “pregos e parafusos”, informou à AFP uma fonte policial.

A polícia lançou um chamado a testemunhas e divulgou a fotografia do suspeito, registrado por uma câmera de vigilância municipal. Nela, um homem aparece “com um suéter escuro de mangas compridas” e uma “bermuda clara” empurrando uma bicicleta preta.

O homem tinha entre 30 e 35 anos e foi visto de bicicleta perto do local no momento do incidente, e está sendo procurado pela polícia francesa, segundo uma fonte próxima ao caso.

A área foi evacuada e isolada pela polícia.

Neste momento não há linhas de investigação privilegiadas sobre o ataque, que ainda não foi reivindicado.

A seção antiterrorista do Ministério Público de Paris vai conduzir a investigação.

O presidente Emmanuel Macron classificou a explosão de “ataque”.

“Houve um ataque em Lyon (…). Há feridos, e evidentemente quero transmitir-lhes meus sentimentos, assim como a suas famílias”, declarou Macron no início de uma entrevista ao vivo a um jovem youtuber por ocasião das eleições europeias, realizadas entre quinta e domingo.

Segundo um novo balanço de uma fonte próxima à investigação, 13 pessoas ficaram feridas sem gravidade na explosão, das quais 11 foram levadas a um hospital próximo. O balanço anterior era de oito feridos.

“Uma menina de 8 anos ficou ferida (…) Estamos relativamente tranquilos já que não há feridos graves. Por outro lado, nos preocupa o fato de se tratar de um artefato explosivo”, declarou Denis Broliquier, prefeito do 2º distrito da cidade, acrescentando que o suspeito poderia ter sido filmado por câmeras de segurança.

O ministro do Interior, Christophe Castaner, informou em um tuíte que pediu à polícia que “reforce a segurança em lugares que acolhem o público e nos eventos esportivos e culturais” em todo o país.

O primeiro ministro, Edouard Philippe, cancelou sua participação no último evento de campanha para as eleições europeias de domingo.

– ‘Cabos elétricos’ –

Uma porta-voz da polícia confirmou à AFP que os investigadores apontam um “pacote bomba”.

“Houve uma explosão e eu pensei que era um acidente de carro (…) Havia pedaços de fios elétricos em volta de mim, pilhas e pedaços de papelão e plástico. As janelas explodiram”, relatou Eva, uma estudante do ensino médio de 17 anos de idade, ainda muito abalada, que estava a 15 metros da cena da explosão.

“Eu ouvi um barulho e quando liguei para as lojas no andar de baixo, me disseram que era uma bomba”, afirmou uma moradora da área. “Houve uma grande explosão, pensei que fosse gás, mas não havia fumaça, então não poderia ser gás”, ressaltou.

A França se prepara para votar no domingo para eleger seus deputados para o Parlamento Europeu. A votação começou em vários Estados já na quinta-feira, incluindo no Reino Unido.