Finanças

Ouro fecha em leve alta com coronavírus e força do dólar no radar


Os contratos futuros do ouro fecharam em leve alta nesta quarta-feira, 29, com os investidores ainda avaliando o impacto do avanço do novo coronavírus e o dólar em alta. Além disso, o mercado opera hoje na expectativa pela decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), que será anunciada às 16h (de Brasília), e pela posterior entrevista coletiva do presidente da instituição, Jerome Powell.

O ouro para fevereiro registrou leve alta de 0,04%, a US$ 1.570,40 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

A Organização Mundial da Saúde informou hoje, em coletiva de imprensa, que se reunirá nesta quinta-feira para decidir se declara ou não emergência de saúde global devido ao surto de coronavírus. O número de pessoas infectadas na China já passou de seis mil e há pelo menos 132 mortes em decorrência da doença no país.

“A menos que o surto de coronavírus se torne uma ameaça grande o suficiente para alterar o curso do Fed, o que, por enquanto, estamos assumindo que não acontecerá, duvidamos que o preço do ouro continue subindo”, analisa a Capital Economics.

Para o analista de metais Daniel Briesemann, do Commerzbank, o ouro quase estável hoje também se deve “em parte ao dólar americano mais forte”, que deixa a commodity mais cara para detentores de outras divisas. A moeda dos Estados Unidos tem se beneficiado da busca por segurança devido coronavírus e da economia americana “fundamentalmente sólida”, na avaliação do Western Union.

Tópicos

mercado de ouro