Finanças

Ouro fecha em baixa e recua quase 5% na semana

Crédito: Pexels

Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para dezembro recuou 0,56%, a US$ 1.866,30 a onça-troy, com perda semanal de 4,88% (Crédito: Pexels)

O ouro fechou o pregão desta sexta-feira, 25, em baixa, pressionado pela força do dólar, que é resultado da busca por segurança que se instalou nos mercados internacionais diante de uma série de incertezas, como a proximidade da eleição presidencial americana, a falta de novos estímulos fiscais nos Estados Unidos e a segunda onda de covid-19 na Europa.

Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para dezembro recuou 0,56%, a US$ 1.866,30 a onça-troy, com perda semanal de 4,88%.

+ Juros fecham em queda com bom humor externo, leilão do Tesouro e RTI
+ Ouro fecha em alta, com recuperação após quedas recentes, apoiado por dólar fraco 

Uma desvalorização temporária do dólar ontem ajudou o ouro, mas a moeda dos EUA voltou a subir hoje, o que faz com que os contratos das commodities fiquem mais caros e menos atraentes a detentores de outras divisas. “Os preços dos metais preciosos – incluindo ouro – caíram esta semana em parte devido à valorização do dólar”, afirmam analistas da Capital Economics.

A consultoria britânica, entretanto, avalia que os preços do metal precioso devem voltar a avançar nos próximos meses, “à medida que os rendimentos reais dos EUA caem”, após o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) flexibilizar a meta de inflação e sinalizar que não deve elevar juros antes de 2024.

“Um olhar mais atento sobre o desenvolvimento do ouro e do EUR-USD euro/dólar revela que houve uma correlação perceptível entre os dois desde meados de julho”, destaca o analista de metais Carsten Fritsch, do Commerzbank. O profissional do banco alemão ressalta que o euro se desvalorizou em comparação com a moeda americana, mas chama a atenção para o fato de que a queda no preço do ouro foi maior, proporcionalmente. “A redução das preocupações com a inflação devido ao aumento dos casos de coronavírus pode ter algo a ver com isso”, afirma Fritsch, referindo-se a investidores que geralmente compram ouro para fazer hedge contra a inflação.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?