Finanças

Ouro fecha em alta com questão petrolífera e dólar fraco

O ouro encerrou o pregão desta terça-feira em leve alta, em meio às incertezas envolvendo os mercados de petróleo, após os ataques às instalações da petrolífera Saudi Aramco, na Arábia Saudita. O dólar fraco ao longo do pregão também tende a fortalecer os contratos de ouro.

O ouro para dezembro fechou com avanço de 0,12%, a US$ 1.513,40 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

Os mercados internacionais ainda monitoram a volatilidade dos contratos de petróleo, acentuada desde que as instalações da Saudi Aramco, na Arábia Saudita, foram bombardeadas, no último sábado.

Nesta terça, circularam informações, posteriormente confirmadas pelo ministro saudita de Energia, príncipe Abdulaziz bin Salman, de que o país restaurará “em breve” a maioria de sua produção de petróleo, bem como se recuperará totalmente dentro de semanas.

As incertezas envolvendo o mercado da commodity energética, além das questões geopolíticas adjacentes ao tema, geram cautela entre investidores, que buscam ativos considerados de segurança, como o ouro, fortalecendo suas cotações.

Pelo lado cambial, o dólar fraco tende a dar força a commodities, como o metal precioso, na medida em que elas se tornam mais baratas para detentores de outras divisas.

De acordo com o Commerzbank, as dúvidas em relação ao Brexit ajudam no clima de incertezas, que dá força ao ouro. “É provável que isso seja alimentado pela incerteza do Brexit, já que o encontro de segunda entre o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e o primeiro-ministro britânico do Reino Unido, Boris Johnson, em Luxemburgo, não produziu resultados tangíveis”, diz a instituição, em relatório divulgado a clientes.

Tópicos

mercado de ouro