Giro

OTAN se reúne nesta sexta, após morte de soldados turcos na Síria

OTAN se reúne nesta sexta, após morte de soldados turcos na Síria

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, concede uma coletiva de imprensa em Bruxelas, quando o conselho de governo da Otan se reunirá para negociações urgentes sobre a crise na Síria, depois que pelo menos 33 soldados turcos foram mortos em um ataque aéreo atribuído a Damasco - AFP


O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, anunciou uma reunião urgente para esta sexta-feira (28) dos embaixadores de seus 29 países-membros, um dia depois da morte de 33 militares turcos em bombardeios na Síria.

A ofensiva aérea foi atribuída ao governo Bashar al-Assad.

A convocação da reunião atende a um pedido da Turquia, membro da OTAN, no âmbito do artigo 4 do tratado. Um aliado pode recorrer a este artigo, se considerar que sua integridade territorial, sua independência política, ou sua segurança estão ameaçadas, diz um comunicado da Aliança Atlântica.

Este artigo é diferente do artigo 5 do tratado da OTAN, o qual estipula que “um ataque armado contra um, ou vários de seus membros na Europa, ou na América do Norte, deve ser considerado como um ataque contra todos”.

Depois de se reunir ontem com o ministro turco das Relações Exteriores, Mevlüt Cavusoglu, Stoltenberg condenou os “bombardeios cegos do regime sírio e de seu aliado russo” e pediu “distensão” entre as partes.