Os sindicalistas do Google

Os sindicalistas do Google

Bem, não foi exatamente um pedido da lista-de-ano-novo do grupo Alphabet (que controla Google e YouTube). Mas a empresa agora tem algo raro entre as corporações do Vale do Silício: um sindicato para chamar de seu, com mais de 200 funcionários só da companhia.

A motivação tem menos a ver com salários – ou mesas de pingue-pongue, cerveja e pufes coloridos para relaxar – e sim com posicionamentos corporativos. Altamente incomum para a indústria de tecnologia, a criação do sindicato está relacionada às crescentes demandas por revisões de políticas de assédio e ética.

O grupo é afiliado ao Communications Workers of America, sindicato dos trabalhadores de telecomunicações e mídia nos EUA e no Canadá. Enquanto os engenheiros de software e outros profissionais de tecnologia se mantiveram calados até aqui sobre questões sociais e políticas, os funcionários de Amazon, Pinterest, Salesforce e outros se tornaram mais ativos em questões como diversidade, discriminação salarial e assédio sexual.

(Nota publicada na edição 1204 da Revista Dinheiro)

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel


Mais posts

Teste: quem é o idiota?

Opção A) Alguém que faz negócios com a China. Opção B) Alguém que briga com a China. Elon Musk – o cara mais rico do planeta – escolheu a primeira alternativa. A Tesla, empresa de veículos elétricos fundada por ele, informou na segunda-feira (18) que começou a entregar seus utilitários esportivos Modelo Y, fabricados em […]

Banir o extremista é antidemocrático?

Aparentemente não. Vetar o hoje bozo global Donald Trump no Twitter e em outras plataformas de redes sociais parece ter sido eficaz em [...]

Ranking de servidores seguros

Aqueles que usam tecnologia de criptografia para transações na internet (para cada 1 milhão de habitantes). Fabio X (Nota publicada na [...]

Lição de inovação na nova Champs-Élysées

Inovar e ser disruptivo serão nossos mantras eternos, independentemente da área de atuação. No mundo do urbanismo e da reconfiguração [...]

WhatsApp recua e alavanca concorrentes

Protestar em redes cada vez mais tem seus efeitos. O WhatsApp, por exemplo, sentiu o golpe. Depois de informar que mudaria sua política [...]
Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.