Os “peligrosos” rosados da Provence

Os “peligrosos” rosados da Provence

Emotion, Inspiration e Esprit Méditerranée, os três rosés do Château de Berne que a Grand Cru traz para o Brasil


É lendária a contribuição dos monges cistercienses para o aprimoramento da produção vitivinícola na França, principalmente na Borgonha, onde os integrantes da ordem religiosa encontram o terroir (lá chamado de climat) perfeito para a elaboração de grandes brancos e tintos. Parte do que bebemos de melhor hoje em dia se deve ao esforço daqueles monges. E não só na Borgonha. Ainda no século XI, o conde de Toulouse, Raymond V, doou para os cistercienses uma propriedade para cultivo de uvas na Provence. O Château de Berne (nome dado em homenagem a São Bernardo, fundador da ordem) é hoje um complexo enoturístico com vinhedos restaurados, hotel e restaurante.

Ali, na região de Var, são produzidas anualmente 750 mil garrafas. Três dos vinhos rosados que trazem a cor característica da região estão no portfólio da importadora Grand Cru. Ao Esprit Méditerranée IGP 2018 (R$109,90), que já fazia parte do catálogo, somam-se agora o Château de Berne AOP Inspiration 2018 (90 pontos de Robert Parker, a R$ 209,90) e o Château de Berne AOP Emotion 2018 (R$169,90).

Para celebrar as novidades, a importadora trouxe ao Brasil o porta-voz da vinícola, Pascal Bony, que há anos vive no Panamá. “Estes são vinhos perigosos”, brincou, falando em espanhol, ao destacar o quando é sutil a presença de álcool em cada um dos rótulos. “São leves, refrescantes, aromáticos e combinam muito com o calor do Brasil. Mas não se iludam, eles sobem à cabeça”, alertou.

Para valorizar a delicadeza desses rosados, nada mais apropriado que garrafas de design elegante, como é tradição na Provence. Se você procura algo diferente e festivo para beber no carnaval, encontrou.


Sobre o autor

Celso Masson, 53, é jornalista, diretor de núcleo da Editora Três, winemaker e palestrante de vinhos. Nos últimos dez anos, vem estudando e acompanhando a produção, os negócios e os prazeres do mundo da enologia. Se formou winemaker após integrar um exigente programa oferecido pela Escola do Vinho Miolo. Já tem três rótulos produzidos em parceria com a inovadora vinícola brasileira.


Mais posts

Happy hour com aula virtual sobre rótulos italianos

Com o isolamento social, as lives têm sido a alternativa de produtores e importadores de vinhos para manter um canal aberto com os [...]

Herú, o duende engarrafado

Entre as tantas frases memoráveis de Vinicius de Moraes, uma entrou para a história da crônica etílica: “O uísque é o melhor amigo do [...]

Um ícone em safra lendária

Poderia ser o título de um filme de caubói:  The 2018’s Seven Legendaries of Miolo. Trata-se, na verdade, do epíteto criado pela [...]

Direto da “terra do vinho”, graças ao Zoom

Foi minha primeira degustação virtual, só que com vinhos reais. Desde o início do isolamento social, reunir produtores e jornalistas na [...]

O incrível livro de Laura Catena

A mensagem chegou de surpresa. Começava assim: “Querido Celso, meu novo livro Ouro nos Vinhedos é uma coleção de histórias ilustradas [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.