Mundo

Os lugares do mundo que ainda resistem ao coronavírus

Crédito: AFP/Arquivos

Tonga é uma das nações do Pacífico que não registrou casos de coronavírus, ao lado de Palau, Micronésia e outros países (Crédito: AFP/Arquivos)


A pandemia de coronavírus segue em propagação pelo mundo, mas alguns territórios isolados, como Palau, Samoa, Turcomenistão ou Coreia do Norte resistem até o momento à chegada da doença.

Palau, um micro-Estado com 18.000 habitantes, é um dos poucos lugares do mundo que não registrou nenhum caso da Covid-19 à medida que aumentam os contágios ao redor do planeta.

+ As incertezas geopolíticas da era pós-coronavírus
+ Pesquisa da CNI revela impacto do coronavírus na indústria brasileira

Este país insular é apenas um ponto no Oceano Pacífico, a centenas de quilômetros do vizinho mais próximo, uma situação que até o momento o isolou do vírus, graças também às restrições de viagens.

Uma situação similar beneficia territórios como Tonga, Ilhas Salomão, Ilhas Marshall e Micronésia.

Mas o isolamento pode não ser suficiente para evitar a chegada do vírus. As Ilhas Marianas confirmaram os primeiros casos no fim de semana e na segunda-feira anunciaram uma morte suspeita.

Em Palau, Klamiokl Tulop, uma artista e mãe solteira de 28 anos, espera poder evitar o destino de cidades como Wuhan, Nova York ou Madrid, onde os serviços de saúde estão saturados pelo grande número de casos.

“Você percebe que a tensão está aumentando e também a ansiedade quando vai às compras”, explica à AFP.

“As lojas ficam ainda mais cheias nas semanas em que não há pagamento”, acrescenta.

Em Palau, uma pessoa foi colocada em quarentena esta semana e as autoridades aguardam os resultados do teste de coronavírus.

– Reclusão na Antártica –

Na Antártica, as 90 pessoas que vivem em bases australianas estão isoladas no único continente do mundo que não foi afetado pelo coronavírus.

“São provavelmente os únicos australianos que podem atualmente organizar um grande jantar ou ter bares e academias abertas”, declarou à AFP Robb Clifton, o diretor de operações da divisão antártica.

As bases permanecerão isoladas até novembro, mas Clifton reconhece que o que preocupa os integrantes da expedição é “como seus parentes estão voltando para casa”.

Em alguns lugares do mundo, a ausência de casos registrados não significa que não há contágio.

Isto acontece na Coreia do Norte, onde as medidas de isolamento parecem ter sucesso, apesar da proximidade com China e Coreia do Sul, dois países muito afetados pela pandemia.

Porém, a manipulação de algumas fotografias por parte da imprensa estatal provoca dúvidas sobre se o regime norte-coreano está dizendo toda a verdade.

– Esperando o inevitável

Em Palau, mesmo sem casos confirmados, o coronavírus altera os comportamentos e a economia.

Em Koror, a principal localidade do país, os supermercados estão sem gel desinfetante, máscaras e álcool.

A companhia United Airlines, que voava seis vezes por semana até Guam (que tem mais 50 casos de coronavírus), reduziu as viagens a uma por semana.

Os habitantes estão começando a aplicar medidas de distanciamento social e os médicos aguardam a chegada de testes de detecção de coronavírus de Taiwan.

De modo paralelo, o governo está construindo cinco unidades isoladas para internar até 14 pessoas. As autoridades parecem esperar o inevitável.

“Gostaria de ser otimista e afirmar que não teremos o vírus”, disse Klamiokl Tulop. “Mas Palau com certeza terá o vírus. Dependemos muito do turismo e a maioria de nós precisa viajar para trabalhar”.

Rondy Ronny, que se dedica a organizar eventos turísticos em Palau, admite que está muito preocupado à medida que perde clientes.

“Tenho empréstimos e contas a pagar”, disse. “Isto definitivamente vai prejudicar, espero que o governo faça algo sobre nossa economia também, para ajudar na recuperação”.