Edição nº 1134 19.08 Ver ediçõs anteriores

Entrevista

Mark Mobius, sócio fundador da Mobius Capital Partners

‘A privatização é mais importante que a Previdência para dar impulso à economia brasileira’

Marcelo Tabach

‘A privatização é mais importante que a Previdência para dar impulso à economia brasileira’

O gestor de recursos Mark Mobius criou o conceito de mercados emergentes nos anos 1970. Agora, aos 82 anos, ele administra seu próprio negócio de gestão de recursos. E as ações brasileiras estão entre as favoritas

Lucas Bombana
Edição 12/07/2019 - nº 1129

Apesar da crise, o Brasil, ao lado de China, Índia e Coreia do Sul, segue como um dos países emergentes preferidos de Mark Mobius. “O mercado brasileiro é muito atraente”, diz o gestor de 82 anos nascido em Nova York. A confiança se reflete em aportes nos setores de consumo, por meio das Lojas Americanas, e educação, com a Kroton, as únicas brasileiras nas quais seus fundos investem. Após liderar por três décadas a área de mercados emergentes da gestora americana Franklin Templeton, Mobius resolveu empreender. Em maio de 2018, ele criou a Mobius Capital Partners, gestora com sede em Londres e que tem US$ 200 milhões sob administração. Conhecido por sua paixão pelo carnaval brasileiro, Mobius falou sobre política, economia e taxas de juros.

DINHEIRO – Como o senhor vê a tramitação da reforma da Previdência?

MARK MOBIUS – Os investidores estão dando muita atenção à aprovação da reforma da Previdência. Só que, a meu ver, não estão se atentando como deveriam para outro aspecto importante: as privatizações que devem ocorrer nos próximos meses. No médio prazo, a privatização é mais importante que a Previdência para dar impulso à economia brasileira.

DINHEIRO – Por que privatizar é tão importante?

MOBIUS – Quando essas empresas forem vendidas, elas vão para as mãos de pessoas com capacidade para aumentar sua produtividade, o que deve permitir que elas se tornem lucrativas. E mais importante, elas se tornarão pagadoras de impostos, gerando uma grande contribuição fiscal para o governo. Isso será extremamente benéfico para o desenvolvimento econômico.

DINHEIRO – As privatizações estão demorando. Isso deve retardar a recuperação da economia?

MOBIUS – A velocidade do programa de privatização é um ponto de atenção para os investidores, mas o importante é que ele está sendo levado adiante.

DINHEIRO – O Índice Bovespa está acima de 100 mil pontos. As ações brasileiras são atraentes?

MOBIUS – O mercado brasileiro é muito atraente. Já temos investimentos na região e avaliamos novas oportunidades. Ainda haverá bons negócios a serem feitos no país.

DINHEIRO – Quais companhias brasileiras estão na carteira da Mobius Capital Partners?

MOBIUS – A principal ação brasileira em nosso portfólio atualmente é a das Lojas Americanas. Ela é a quinta ação mais importante em nossa carteira, com cerca de 5,1%. Temos também a Kroton, a décima maior posição do fundo, com 4,4%. Estamos olhando para outras possibilidades, mas ainda não investimos.

DINHEIRO – O que o levou a apostar no varejo brasileiro?

MOBIUS – Gostamos de empresas capazes de aproveitar o mercado brasileiro de consumo. Tenho muito interesse no setor, e acredito que ele ainda vai apresentar grandes oportunidades.

“A Lojas Americanas é a quinta ação mais importante em nossa carteira.Gostamos de empresas capazes de aproveitar o mercado de consumo” (Crédito:Mônica Zarattini/AE)

DINHEIRO – O PIB fraco pode atrapalhar?

MOBIUS – É verdade que os números sobre o ritmo da atividade doméstica não têm sido muito bons, o que tem levado algumas pessoas a acreditar que os consumidores não terão mais dinheiro. Mas eu discordo. Logo veremos a renda e o consumo voltarem a crescer, o que vai representar uma boa oportunidade para as empresas que souberem aproveitar esse movimento.

DINHEIRO – Mesmo com a economia brasileira crescendo menos do que o desejável?

MOBIUS – Os dados do PIB foram fracos, mas refletem o que já ficou para trás. Pelas nossas projeções, os economistas estão muito pessimistas. Acredito que os próximos números serão melhores que o esperado.

DINHEIRO – Uma visão de longo prazo ajuda a atravessar momentos de instabilidade?

MOBIUS – Sim. Nosso horizonte é de três a cinco anos, não estamos tão preocupados com o que está acontecendo agora. Inclusive muitas das ações que analisamos tiveram uma queda dos preços acima do que consideramos razoável, o que pode representar boas oportunidades de compra.

DINHEIRO – Quanto as ações brasileiras representam na carteira da Mobius Capital Partners?

MOBIUS – A participação brasileira está atualmente por volta de 8%. Esse número está sempre variando, devido às operações que fazemos e também por conta das oscilações nos preços de mercado.

DINHEIRO – O que pode fazer o senhor elevar sua exposição ao Brasil?

MOBIUS – Qualquer aceleração no processo das reformas do governo seria ótima. E não apenas a da Previdência, ou as privatizações, mas também esforços para reduzir a burocracia e as barreiras. Precisam ser criadas condições mais propícias para o desenvolvimento de empresas de pequeno e médio porte. Esse é o grande problema do País em minha avaliação. E me remete a uma questão curiosa.

DINHEIRO – Qual?

MOBIUS – Sempre que penso no Brasil me lembro que as pessoas têm grande expectativa com os resultados dos sorteios da loteria. Isso ocorre porque é muito difícil uma empresa ter condições para prosperar. Se essas condições forem aprimoradas os resultados corporativos serão muito melhores.

DINHEIRO – Qual sua avaliação sobre os primeiros seis meses do governo Bolsonaro?

MOBIUS – Muita gente está decepcionada com o novo governo por conta de uma expectativa que foi frustrada, mas esse não é o nosso caso. Sabemos que haveria dificuldades no caminho, isso acontece quando se tentam fazer reformas. As pessoas não gostam de mudanças. Estou razoavelmente feliz com o que aconteceu até agora. Só acho que as reformas precisam ser aceleradas.

DINHEIRO – Quais emergentes são mais promissores?

MOBIUS – A China e a Índia estão empatadas em primeiro lugar no nosso portfólio, com participações iguais de 30%. São duas economias muito grandes, com um leque de alternativas bastante amplo para escolher. Depois vem a Coreia do Sul, com aproximadamente 15%, e a quarta posição é do Brasil, com uma participação de 8%. São os quatro principais países em nosso radar no momento.

“Se a saída do Reino Unido da União Europeia for muito abrupta, a economia da Europa pode desacelerar, prejudicando as exportações brasileiras” (Crédito:Matt Dunham/AP Photo)

DINHEIRO – Quais as maiores posições?

MOBIUS – A maior posição é na biofarmacêutica coreana Hugel. Em seguida vem a chinesa de fast food Yum e a taiwanesa de tecnologia eMemory.

DINHEIRO – A queda dos juros vai atrair mais capital para os emergentes?

MOBIUS – Com certeza. Os juros nos Estados Unidos já estão muito baixos, mas o mercado prevê que o Federal Reserve [Fed, o banco central norte-americano] vai reduzi-los ainda mais. A medida vai ser muito importante não apenas para estimular o mercado acionário americano, mas também o brasileiro. Se os juros nos Estados Unidos forem reduzidos, o Brasil vai conseguir atrair um volume maior de recursos para a renda fixa. As taxas brasileiras ainda estão bem acima do que é praticado nos mercados desenvolvidos.

DINHEIRO – Como a guerra comercial entre Estados Unidos e China afeta os emergentes?

MOBIUS – Muitas pessoas enxergam a guerra comercial como algo negativo. Eu não concordo. Acredito que muitos países emergentes vão se beneficiar da disputa entre as duas potências. Isso porque as exportações da China para os Estados Unidos vão ser substituídas por exportações do Brasil, do Vietnã, de Bangladesh. É muito importante que o Brasil perceba essa oportunidade e tente melhorar sua relação comercial com os Estados Unidos, para aumentar suas exportações e substituir a China. Esse processo já está acontecendo com alguns países asiáticos, e o Brasil precisa estar atento para se beneficiar.

DINHEIRO – Quais os riscos para os emergentes?

MOBIUS – Um afrouxamento nas regras que dão sustentação às relações comerciais globais seria um problema. Apesar de existirem falhas, existem regras estabelecidas e reconhecidas que regulam e permitem as transações. Outro problema seria uma eventual alta dos juros. É improvável, mas seria muito ruim.

DINHEIRO – O crescimento econômico na Europa também tem decepcionado. Pode ser um problema para os emergentes?

MOBIUS – A saúde financeira da Europa é um ponto a ser monitorado, em especial o Brexit. Se a saída do Reino Unido da União Europeia for muito abrupta, a economia da Europa pode desacelerar, ao menos temporariamente, prejudicando as exportações brasileiras.

DINHEIRO – Quais são as principais diferenças entre o trabalho que o senhor realizou por tanto tempo na Franklin Templeton para o que faz agora à frente de sua própria gestora?

MOBIUS – Uma das principais diferenças é o porte, temos bem menos dinheiro e uma quantidade muito menor de fundos. [A Franklin Templeton tem cerca de US$ 750 bilhões sob gestão; a Mobius Capital Partners tem aproximadamente US$ 200 milhões]. Na Franklin Templeton havia quase 80 fundos dedicados a mercados emergentes, agora tenho dois. E focamos muito na governança corporativa. Nos dedicamos fortemente em entender como ajudar as companhias a melhorar sua governança. Se a companhia tem uma boa governança, as chances de sua ação ter um bom desempenho são maiores.

DINHEIRO – Esse trabalho de aprimoramento da governança é feito com as companhias brasileiras em sua carteira?

MOBIUS – Sim. Temos conversado regularmente com as empresas brasileiras para entender como podemos ajudar. Nossa atuação geralmente foca em melhorias nas relações com investidores, em um conselho e diretoria com maior grau de independência.

DINHEIRO – Qual foi sua motivação para sair da Franklin Templeton e começar seu próprio negócio?

MOBIUS – Gosto da ideia de fazer algo diferente, e com um foco maior. Na Franklin Templeton desenvolvia muitas coisas, em diversas direções diferentes, e agora posso me concentrar em apenas uma estratégia, o que está sendo muito bom.

DINHEIRO – Quais países emergentes estão em seu radar, mas ainda não receberam investimentos?

MOBIUS – Há alguns países na África que temos acompanhado mas ainda não investimos. Quênia, Costa do Marfim, Egito e África do Sul são alguns exemplos.

DINHEIRO – Quando deve ser a próxima viagem ao Brasil?

MOBIUS – Já estive duas vezes no Brasil neste ano, e gostaria de voltar no fim do ano, em novembro ou dezembro.

Financiamento

Casa própria: Caixa anuncia nova linha de crédito imobiliário atrelada à inflação

cargo nos EUA

Após Bolsonaro sinalizar recuo, Eduardo diz que indicação está mantida

Programa espacial

Estados Unidos divulga detalhes de sua primeira missão para a lua desde 1972


Mercedes-Benz usa GPS de carros para localizar clientes em débito

polêmica

Mercedes-Benz usa GPS de carros para localizar clientes em débito

Rastreamento e apreensão de veículos com base nos sistemas de localização reascendeu debate sobre direito a privacidade. Marca afirma que prática é feita em casos específicos

BNDES: Huck, Doria e JBS estão entre favorecidos para compra de jatinhos

Verbas públicas

BNDES: Huck, Doria e JBS estão entre favorecidos para compra de jatinhos

Startup médica é a nova aposta bilionária do fundador do Groupon

Negócios

Startup médica é a nova aposta bilionária do fundador do Groupon

A startup fundada há quatro anos e já contratou cerca de 700 funcionários e arrecadou mais de US$ 500 milhões, incluindo uma nova rodada de US$ 200 milhões

Quem quer viajar de graça? O governo paga!

Edital Embratur

Quem quer viajar de graça? O governo paga!

A Embratur lançou edital para um reality show de turismo onde um estrangeiro (brasileiro não vale) irá passar 30 dias viajando pelo País com tudo pago

Abrir igrejas é um ótimo negócio no Brasil

empreendimento religioso

Abrir igrejas é um ótimo negócio no Brasil

1.250 igrejas são abertas por ano no País, uma média de 3,4 igrejas por dia. Enquanto você lê, provavelmente alguém fundou um novo tempo na rua da sua casa

Bolsonaro vai torrar R$ 600 mil só para pintar avião presidencial

verba pública

Bolsonaro vai torrar R$ 600 mil só para pintar avião presidencial

Apple TV+: streaming da Apple será lançado em novembro, diz site

entretenimento

Apple TV+: streaming da Apple será lançado em novembro, diz site

Segundo Bloomberg, o serviço terá mensalidade de US$ 9,99 nos EUA e estará disponível em 150 países. Lançamento acirra disputa no streaming

Trump volta a demonstrar interesse pela compra da Groenlândia

ilha dinamarquesa

Trump volta a demonstrar interesse pela compra da Groenlândia

Presidente dos EUA postou imagem editada da costa da ilha com a icônica Trump Tower. Políticos locais consideram ideia absurda

Após polêmica, Nike muda política de licença maternidade para atletas

patrocínios

Após polêmica, Nike muda política de licença maternidade para atletas


Dólar volta a cair e fecha em R$ 4,05 com mercado na expectativa por BC e Fed

Câmbio

Dólar volta a cair e fecha em R$ 4,05 com mercado na expectativa por BC e Fed


Qualcomm fecha acordo para produção de celulares LG

Inovação

Qualcomm fecha acordo para produção de celulares LG

As duas empresas estavam envolvidas em disputas e conversas desde abril, quando a Qualcomm buscava renovar seu acordo de fornecimento de chips com a LG


Argentina promete estabilizar o mercado cambiário e cumprir meta fiscal

novo ministro

Argentina promete estabilizar o mercado cambiário e cumprir meta fiscal

Espanha enviará navio militar para resgatar migrantes do Open Arms

ong humanitária

ong humanitária

Espanha enviará navio militar para resgatar migrantes do Open Arms

Rússia e China denunciam escalada militar após teste de míssil americano

tensão

tensão

Rússia e China denunciam escalada militar após teste de míssil americano

Sudão cria Conselho Soberano para iniciar transição política

Norte da África

Norte da África

Sudão cria Conselho Soberano para iniciar transição política

A interminável milonga Argentina

Editorial por Carlos José Marques

Editorial por Carlos José Marques

A interminável milonga Argentina

Lamentavelmente, desde os aos 1950 a Argentina vem em solavancos, experimentando em média um ano de recessão para cada três de ajuste. Nos últimos tempos, a equação se inverteu

João Pedro Paro Neto, CEO da Mastercard Brasil

João Pedro Paro Neto, CEO da Mastercard Brasil

"Queremos 60% dos pagamentos feitos em meios eletrônicos até 2024"

O executivo, que comanda a operação da americana no Brasil, tem apostado em tecnologia de autenticação por comportamento


Por que o ouro voltou à moda

capa

Por que o ouro voltou à moda

Combinação entre aumento da tensão política e desaceleração da economia aumenta os riscos de inflação, elevando o interesse pelo metal dourado

Sem legítima defesa

demora no cade

Sem legítima defesa

Demora do presidente Bolsonaro em indicar novos membros para o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) paralisa negócios de mais de R$ 100 bilhões


A reinvenção da mão de obra

indústria nacional

A reinvenção da mão de obra

Nem tudo são más notícias na indústria brasileira. Mapa do trabalho indica que o setor contratará mais profissionais preparados para a indústria 4.0

CPMF, não!

reforma tributária

CPMF, não!

A recriação de um imposto sobre movimentações financeiras aparece nos esboços da reforma tributária que deverá ser apresentada pelo governo ao congresso. Renegada por empresários e por grande parte da sociedade, essa taxação cria distorções — e pode impedir a retomada do crescimento

MP da Liberdade Econômica pode ajudar. Mas não vai resolver

resumo dos fatos

resumo dos fatos

MP da Liberdade Econômica pode ajudar. Mas não vai resolver

A batalha do Brasil na China

internacional

A batalha do Brasil na China

Em meio à guerra comercial do país asiático com os EUA, Empresários brasileiros garantem investimentos de US$ 24,8 bilhões em rodadas de negociações com bancos e companhias chinesas

A nova casa da Joli

reforma de portfólio

A nova casa da Joli

Rede de materiais de construção reforma o porfólio para incluir itens de decoração e investe R$ 9 milhões para inaugurar sua maior unidade. Três novas operações estão previstas para 2020

Lição Walmart: não basta ser grande

gigante varejista

Lição Walmart: não basta ser grande

O fracasso da operação brasileira e o fim da marca no País mostram que nome não ganha jogo no disputado varejo nacional


As armas do futuro já estão entre nós

segurança

As armas do futuro já estão entre nós

E elas movimentam fortunas, como prova a chinesa Hikvision, Líder em produtos inovadores para segurança. Com 34 mil colaboradores e fábricas na Índia e no Brasil, ela fatura US$ 7,5 bilhões ao ano

Vou pintar na sua firma

epson

Vou pintar na sua firma

Fabricante de impressoras quer repetir no mercado corporativo a “blitzkrieg” que promoveu no mercado doméstico

Adeus, preço médio

RLP

Adeus, preço médio

Novo produto da B3, o RLP promete revolucionar a forma como o investidor pessoa física opera no mercado

Árvores de dinheiro

investimento social

Árvores de dinheiro

Enquanto o desmatamento cresce, engajamento do mercado com investimentos socialmente responsáveis vem aumentando




Espaço aéreo VIP

Espaço aéreo VIP

Jatos de até US$ 71,5 milhões exibidos na Labace, maior evento da aviação de negócios da América Latina, mostram que nem o céu é o limite para os brasileiros


Como o sucesso pode levar sua empresa a não inovar

por Ulisses Zamboni

por Ulisses Zamboni

Como o sucesso pode levar sua empresa a não inovar





Publieditorial XP Investimentos

Descubra a maior cidade da América Latina

São Paulo

Descubra a maior cidade da América Latina

Facilidade de acesso e variedade de opções de transporte complementam os diferenciais do Centro de Convenções

Saiba como chegar ao Transamerica Expo Center

Mobilidade

Saiba como chegar ao Transamerica Expo Center

Facilidade de acesso e variedade de opções de transporte complementam os diferenciais do Centro de Convenções

Dicas de hospedagem, diversão e serviços próximos ao Transamerica Expo Center

Turismo

Dicas de hospedagem, diversão e serviços próximos ao Transamerica Expo Center

Plataforma Robbyson: uma nova forma de gerir, reconhecer e engajar para bons resultados

Robbynson apresenta:

Robbynson apresenta:

Plataforma Robbyson: uma nova forma de gerir, reconhecer e engajar para bons resultados

Tenho um bom número de pessoas para gerir, muitos deles são Millennials, conectados, ágeis, com universo e linguagens próprios. E agora?

Fazer o bem está no nosso sangue

Lojas Americanas apresenta:

Lojas Americanas apresenta:

Fazer o bem está no nosso sangue

Inovações na Digital Agro ampliam produção

Digital Agro apresenta:

Digital Agro apresenta:

Inovações na Digital Agro ampliam produção

Entre 11 e 13 de junho, feira voltada à tecnologia no campo vai discutir integração de soluções para aumento de resultados