Os brasileiros merecem uma inflação menor


Em fevereiro deste ano, escrevi um artigo opinativo na revista ISTOÉ Dinheiro mostrando que o Brasil tem uma enorme oportunidade de reduzir a sua meta de inflação para 2019. A minha sugestão é cortar o centro da meta de 4,5% para 4% – o alvo para 2018 já está definido em 4,5%.

O tema será debatido, em junho, pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que é formado pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, pelo ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, e pelo presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn. Recentemente, o presidente Michel Temer sinalizou que uma meta menor seria bem-vinda, embora tenha deixado claro que não pretende intervir nas decisões do CMN.

Na estreia do quadro “Descomplicando a Economia”, na TV Dinheiro, eu voltei ao assunto e mostrei que o Brasil tem uma meta maior do que os principais países emergentes. Desde 2005, o nosso alvo é de 4,5%. Diante da maior recessão da nossa história, que tal aproveitarmos para, ao menos, colher esse fruto?  Seria um prêmio de consolação diante de um desemprego tão cruel.

Os preços já estão rodando abaixo dos 4,5% e podem, segundo os analistas do mercado financeiro, reduzir o ritmo para menos de 4% em breve. Quanto menor a inflação, maior é o poder de compra de população e mais fácil se torna o processo de desindexação da economia. Temos uma oportunidade de ouro e não deveríamos desperdiçá-la. Os brasileiros merecem uma inflação menor.

Em tempo: o quadro “Descomplicando a Economia”, na TV Dinheiro, vai ao ar todas as segundas-feiras, entre 11h30 e 11h45, dentro do programa “Dinheiro na semana”, que é transmitido ao vivo pelo Facebook. Por causa do feriado de 1º de maio, a próxima edição será na terça-feira 2.

 

 


Mais posts

Declaração de Guedes sobre domésticas na Disney foi muito infeliz

Olá, pessoal! Tudo bem? Quem acompanha o meu trabalho sabe que eu elogio constantemente a agenda econômica do ministro Paulo Guedes. [...]

O que já podemos aprender com os riscos em 2020?

Olá, pessoal! Tudo bem? O mês de janeiro passou como num estalar de dedos, mas esse início de ano nos trouxe inúmeras lições [...]

2020 será o ano do crédito. Isso é bom?

Olá, pessoal! Tudo bem? No apagar das luzes de 2019, gostaria de escrever algumas linhas sobre 2020. Conforme tenho repetido em artigos [...]

O Brasil está crescendo quase o dobro. E pode avançar mais!

Olá, pessoal, tudo bem? Nos últimos dias, diversos indicadores econômicos vieram acima das expectativas dos analistas, sinalizando uma [...]

STF é fonte inesgotável de insegurança jurídica

Olá, pessoal, tudo bem? O julgamento da constitucionalidade da prisão em segunda instância no Supremo Tribunal Federal (STF) ainda não [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.