Dinheiro em Ação

Operação da Polícia Federal não afeta ações da Hypera Pharma

Operação da Polícia Federal não afeta ações da Hypera Pharma

Papéis avulsos

Na terça-feira 10, a Polícia Federal executou uma operação de busca e apreensão no escritório da Hypera Pharma, antiga Hypermarcas, na capital paulista. A ação, feita no âmbito da operação Tira-Teima, investiga vantagens indevidas do grupo farmacêutico obtidas por meio de pagamento para políticos supostamente ligados ao presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB). O político é investigado com base na delação do ex-diretor de Relações Institucionais da empresa, Nelson Mello. O executivo afirmou ter repassado R$ 5 milhões para a campanha de Eunício ao governo do Ceará, em 2014. Em relatório, o Credit Suisse avaliou que o evento faz parte de uma investigação em curso e que a companhia não está sendo acusada de qualquer delito. “O fato de a empresa já ter contratado ajuda externa para revisar mais de um milhão de arquivos e não ter encontrado nenhum delito é positivo.” Mello foi desligado da empresa em 2016. Em nota, a Hypera afirmou que a “companhia não se beneficiou de quaisquer atos praticados isoladamente pelo ex-executivo”.

 

Quem vem lá

Dass pretende captar R$ 1 bilhão com IPO

A Dass Nordeste, fabricante de produtos esportivos e calçados das marcas Fila e Umbro, definiu, na segunda-feira 9, a faixa indicativa de preço por ação de sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), que ficou entre R$ 14 e R$ 17. A companhia pode captar R$ 1,04 bilhão, de acordo com o valor médio da faixa, de R$ 15,50. O grupo, que possui fábricas no Brasil e na Argentina, teve metade da sua receita de R$ 1,7 bilhão, em 2017, proveniente de exportações. Os recursos da abertura de capital serão utilizados para a reforma das 16 lojas, abertura de novos pontos de venda e reforço do capital de giro.

 

Óleo & Gás

Moody’s eleva nota da Petrobras

A agência de classificação de risco Moody’s elevou, na segunda-feira 9, a nota de crédito da Petrobras de Ba3 para Ba2 e manteve a perspectiva estável. A decisão reflete “contínuas melhoras na posição de liquidez da estatal e a redução de sua alavancagem”. A dívida da companhia está em 3,24 vezes a geração de caixa medida pelo Ebitda. A meta é diminuir essa relação para 2,5 vezes até o fim de 2018. As ações sobem 32,9% no ano.

 

Touro x Urso

A indicação de que a política monetária do Banco Central terá continuidade, apesar da substituição de Henrique Meirelles por Eduardo Guardia, aliviou a tensão que predominou no mercado no início da semana. Na quarta-feira 11, o dólar caiu abaixo da barreira psicológica de R$ 3,40, para encerrar a R$ 3,385. As atenções do mercado deverão se voltar para os desdobramentos da guerra comercial entre China e Estados Unidos.

 

Destaque no pregão

Embraer e Boeing quase juntas

As ações da Embraer dispararam mais de 7% na semana passada após o ministro interino da Defesa, general Joaquim Silva e Luna, afirmar na terça-feira 10 que o acordo entre a americana Boeing e Embraer está perto de ser concretizado. A negociação começou em dezembro do ano passado. A proposta aponta a criação de uma terceira empresa, formada só pela aviação civil. A área militar ficaria separada em uma companhia brasileira. A parceria beneficiaria especialmente a Boeing, que passaria a contar com aeronaves de médio porte em seu portfólio, ganhando competitividade em relação à sua rival Airbus.

Palavra do analista:
Luiz Gustavo Pereira, analista da Guide Investimentos, avalia que novos aportes são interessantes para a Embraer, pois o setor passa por um movimento de consolidação. “A negociação envolve a área comercial de aeronaves, jatos executivos e serviços, o que responde por cerca de 85% das vendas anuais da companhia, de US$ 6 bilhões”, diz em relatório.

 

Mineração

Vale de olho nos carros elétricos

A indústria de carros elétricos está no radar da Vale, pois uma das principais matérias-primas da bateria é o níquel. No ano passado, o metal rendeu R$ 4,6 bilhões em receita para a mineradora, sendo 25% do montante proveniente da China. Hoje 3,2 milhões de veículos desse tipo circulam pelo mundo, um aumento de 50% nos últimos 12 meses. Metade dessa frota está em território chinês. “A maior demanda de níquel pode ser uma oportunidade, mas também pode ser uma ameaça em relação à volatilidade dos preços”, diz Fabio Schvartsman, presidente da companhia.

 

 

Mercado em números

CARREFOUR
R$ 12,2 bilhões – É o valor das vendas brutas do grupo no Brasil no primeiro trimestre, alta de 6% ante o mesmo período de 2017

BR DISTRIBUIDORA
2,3 milhões de litros – É o volume estimado que a distribuidora deve fornecer nos 20 postos que começaram a ser implementados nos hipermercados Carrefour nos próximos três anos

MRV
R$ 801 milhões – Foi o valor dos lançamentos da construtora no primeiro trimestre, queda de 33,9% ante os três últimos meses de 2017

BRASIL AGRO
R$ 150 milhões – É o montante que o conselho de administração da companhia aprovou para a primeira série de emissão de debêntures. Serão papéis simples, sem conversão em ações

DIRECIONAL
R$ 385 milhões – É o valor das vendas líquidas da companhia no primeiro trimestre, alta de 155% em comparação com os três últimos meses do ano passado