Economia

Operação da PF mira em empresas de fachada do ramo de leilões

Crédito: EBC

Polícia Federal: sem trégua (Crédito: EBC)


A Polícia Federal (PF) desencadeou na manhã desta terça-feira, 3, a Operação Último Lance para investigar a criação de dezenas empresas de fachada, controladas por “laranjas”, para ocultação de “vultosas” movimentações de dinheiro. Grande parte das companhias fictícias era do ramo de leilões, o que deu origem ao nome da operação, diz a PF.

Segundo a corporação, a investigação se baseou na análise de relatórios de inteligência financeira – elaborados pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras – sendo que um dos documentos revelou movimentações suspeitas de mais de R$ 600 milhões.

Polícia Federal investiga ações do extinto Ministério do Trabalho

Polícia Federal investiga fraudes em clubes de tiro em São Paulo

Nesta terça, cerca de 80 agentes cumprem de 16 mandados de busca e apreensão em endereços de São Paulo, Pindamonhangaba, Franca e Bauru, no interior paulista. As ordens foram expedidas pela 10ª Vara Criminal Federal de São Paulo, especializada em crimes contra o sistema financeiro nacional e crimes de lavagem ou ocultação de bens, direitos ou valores.

De acordo com a PF, os investigados podem responder pelos crimes de evasão de divisas, sonegação fiscal, falsidade ideológica, uso de documento falso e ocultação indevida de valores.

A ação tem apoio da Receia Federal e é realizada pela delegacia da PF em Bauru e pela delegacia de repressão e combate à corrupção e aos crimes contra sistema financeiro nacional da superintendência em São Paulo.