Economia

Opep melhora previsão para PIB do Brasil em 2020, de -5,8% para -5,2%

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) revisou as projeções para o desempenho da atividade econômica do Brasil. Em relatório mensal, a entidade melhorou a previsão para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2020, de contração de 5,8% para retração de 5,2%. Para 2021, a estimativa ficou estável em crescimento de 2,4%.

De acordo com a entidade, as expectativas para o início da vacinação contra o coronavírus sustentam a confiança das empresas e podem induzir a recuperação de setores como o de viagens. Por outro lado, o grupo explica que o fim das medidas de estímulo à economia pode levar à desaceleração da economia.

+ Taxas futuras de juros recuam com dólar fraco e pressão limitada de leilão

“O fracasso em apertar a política fiscal o suficiente após a covid-19 pode renovar os problemas de sustentabilidade da dívida, aumentando os juros e a inflação”, destaca.

Em relação à economia global, a Opep melhorou levemente a previsão para 2020 e, agora, espera uma contração de 4,1% no PIB, comparado com queda de 4,2% antes. “Enquanto a projeção para 2021 permanece em expansão de 4,4%, notícias recentes de estímulo fiscal nos Estados Unidos e a probabilidade de uma recuperação mais forte do que o previsto nas economias asiáticas oferecem vantagens potenciais para a perspectivas de crescimento”, pontua.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

Tópicos

Brasil Opep PIB