Economia

Oneração da folha gera ‘barreira de possibilidade de produção’, diz Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta quinta-feira, 29, que o Brasil está dentro de uma “barreira de possibilidade de produção” ao perpetuar distorções como a oneração da folha de salário. Guedes chamou o tributo de “cruel, absurdo e ineficiente”, defeitos que, segundo ele, são todos imputados ao imposto sobre pagamentos, defendido pelo ministro como uma opção de fonte de recursos em troca da desoneração da folha.

“Distorções, imposto cruel, absurdo, ineficiente, que tem todos os defeitos imputados ao imposto digital, são cumulativos, regressivos, discriminatórios, e os lobbys não deixam a população enxergar isso”, disse Guedes na Comissão Mista do Congresso Nacional para o acompanhamento de medidas contra a covid-19.

Mais cedo, o ministro afirmou que pode-se declarar a ideia de tributo sobre pagamentos “extinta”, mesmo após passar vários minutos defendendo a criação do imposto.

Guedes ainda defendeu que, com práticas mais simples, como a desburocratização, simplificação de impostos, melhora na logística e na competição, é possível fazer um país crescer “5%, 6%”. “Fazer um milagre durante seis, sete anos”, disse. “Mas estamos dentro de uma barreira de possibilidade, colocamos tantas restrições”, comentou.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel