Giro

OMS trabalha em mais orientações sobre varíola dos macacos ante aumento de casos



Por Jennifer Rigby

LONDRES (Reuters) – A Organização Mundial da Saúde (OMS) está trabalhando em mais orientações para os países sobre como mitigar a propagação da varíola dos macacos, em meio a preocupações de que os casos possam aumentar ainda mais nos meses de verão no Hemisfério Norte, disse à Reuters um conselheiro sênior da agência, que pertence à ONU.

A teoria que a OMS está trabalhando com base nos casos identificados até agora é de que o surto está sendo causado por contato sexual, disse David Heymann, presidente do Grupo Consultivo Estratégico e Técnico sobre Riscos Infecciosos com Potencial de Pandemia e Epidemia. Ele liderou uma reunião sobre o surto na sexta-feira.

A varíola dos macacos é uma doença infecciosa geralmente leve, e é endêmica em partes da África Ocidental e Central. Ela é transmitida por contato próximo, o que significa que pode ser contida com certa facilidade por meio de medidas como isolamento e higiene assim que um novo caso é identificado.



O surto em 11 países onde não é endêmico é altamente incomum, de acordo com os cientistas. Mais de 100 casos confirmados ou suspeitos foram relatados, a maioria deles na Europa.