Ciência

OMS pede ao Brasil que exporte vacinas contra febre amarela

OMS pede ao Brasil que exporte vacinas contra febre amarela

Enfermeira prepara vacina contra febre amarela em São Paulo, em 12 de janeiro de 2018 - AFP

A Organização Mundial de Saúde (OMS) pediu ao Brasil que aumente sua produção de vacinas contra a febre amarela e as exporte, pois as que existem não são suficientes para o mundo, disse nesta terça-feira (24) seu diretor-geral, o etíope Tedros Adhanom Ghebreyesus.

“Para a febre amarela existe uma vacina, o que é importante. Uma dose protege pela vida inteira. O problema é a produção. O que estamos produzindo não é suficiente. Temos que aumentar nossa capacidade de produção”, assinalou o funcionário, que participa em Havana da Convenção Internacional de Saúde Pública.

“Quando visitei o Brasil no mês passado, pedi às autoridades que aumentassem sua capacidade de produção desta vacina e que começassem a exportar, porque há febre amarela em outros continentes”, acrescentou Tedros em coletiva de imprensa.

“Para a febre amarela não há desculpa porque temos a melhor arma até agora, e a questão é usá-la e tentar prevenir”, comentou. As autoridades brasileiras esperam duplicar a produção de suas vacinas a partir de junho, alcançando as oito milhões de doses mensais.