Giro

OMS: oferta de vacinas ainda é problema; elas seguem eficazes contra casos graves

Autoridades da Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmaram, durante entrevista coletiva nesta quarta-feira, 18, que a oferta global de vacinas contra a covid-19 “ainda é um problema” para que a entidade consiga distribuir mais imunizantes aos países mais necessitados pelo mundo. A declaração foi dada por Bruce Aylward, consultor sênior da entidade.



Nesse contexto, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, renovou hoje seu pedido por uma moratória na aplicação de uma terceira dose da vacina nos países mais ricos, a fim de que os demais possam avançar mais rápido na vacinação. “A variante Delta continua a superar nossa reação coletiva à covid”, enfatizou Tedros Adhanom, na coletiva virtual.

Epidemiologista responsável pela resposta da OMS à pandemia, Maria Van Kerkhove disse que, de fato, a cepa Delta é mais contagiosa e contribui para o avanço dos casos de covid-19 pelo mundo. Mas também ressaltou que isso é apenas parte do motivo, lembrando que há muitas áreas pelo mundo com “pouca ou nenhuma” adoção de medidas profiláticas, como o uso de máscaras, o distanciamento social e que se evitem aglomerações, sobretudo em locais fechados.

Cientista chefe da OMS, Sumya Swaminathan notou que a alta nos casos da covid-19 ocorre sobretudo entre os não vacinados. Mesmo em países com parcela significativa da população vacinada, a máscara é crucial para conter os registros da doença, disse Swaminathan.

Integrante do Grupo de Assessoria Científica para Emergências (SAGE, na sigla em inglês) da OMS, Joachim Maria Hombach lembrou que nenhuma vacina é 100% eficaz, mas comentou com as demais medidas de proteção elas ajudam a garantir que o número de casos da doença caia com o tempo. Hombach afirmou que os pesquisadores têm visto uma queda na eficácia do imunizante com o passar dos meses de aplicação, mas esse recuo ocorre apenas nos casos leves. “As vacinas contra a covid continuam a fazer seu papel principal, o de evitar quadros graves”, disse ele.



Afeganistão

No início da coletiva, Tedros Adhanom expressou temor com o quadro no Afeganistão, com a retirada militar americana e a volta do Taleban ao poder. Ele pediu que a comunidade internacional atue para garantir o acesso à saúde para mulheres e crianças no país, e lembrou que a OMS segue atuando em campo no território afegão, a fim de ajudar a garantir a saúde da população local.


Veja também
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Motorista deixa carro Tesla no piloto automático e dorme em rodovia de SP
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Lago Superior: a melhor onda de água doce do mundo?