Ciência

OMS apresenta nova equipe de especialistas para investigar novos patógenos

OMS apresenta nova equipe de especialistas para investigar novos patógenos

Imagem fornecida pela OMS mostra o diretor-geral da organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus - World Health Organization/AFP

Mais de vinte especialistas de alto escalão investigarão para a Organização Mundial da Saúde (OMS) os novos agentes patógenos e voltarão a estudar a origem da covid-19.

O coronavírus mostrou que nem o mundo nem a OMS estavam preparados para uma pandemia.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, anunciou o lançamento de um “Grupo de Aconselhamento Científico sobre as origens dos novos agentes patógenos”, chamado “SAGO” em suas siglas em inglês.

Após uma convocação de candidaturas, a OMS selecionou 26 de 700, entre as quais estão o virologista alemão Christian Drosten; Inger Damon, dos Centros de Controle de Doenças (CDC) dos Estados Unidos; Jean-Claude Manuguerra, virologista do instituto Pasteur da França e Yungui Yang, vice-diretor do Instituto de Genômica de Pequim.



“Segundo os procedimentos da OMS, haverá um período de consulta pública de duas semanas, para que a OMS receba comentários sobre as proposições dos membros do SAGO e para que implemente as modalidades da primeira reunião”, explicou a agência da ONU em nota.

Alguns dos especialistas selecionados já participaram da missão científica conjunta da OMS e China sobre a origem da covid-19, como a holandesa Marion Koopmans e o vietnamita Hung Nguyen.

Essa missão viajou em janeiro para Wuhan (China), onde o coronavírus foi detectado pela primeira vez, e em 29 de março publicou um relatório.

O texto, porém, não incluía nenhuma resposta conclusiva, só enumerava quatro posssíveis cenários. Entre eles, o considerado mais verossímil foi o de que o vírus foi transmitido ao ser humano por um animal intermediário, infectado por um morcego.

Também foi levantada a hipótese de que o vírus tenha sido transmitido diretamente, sem intermediário; pela alimentação – como carne congelada – ou por um vazamento acidental de um laboratório, algo que, no entanto, foi estimado “extremamente improvável”.

Esta última hipótese foi descartada praticamente desde o início, o que levou os autores do relatório a serem acusados de mitigar a responsabilidade da China. O chefe da OMS não demorou a afirmar que as quatro hipóteses estavam sobre a mesa.

No marco da pandemia, o SAGO terá que orientar a OMS sobre as próximas medidas a serem tomadas para entender quais são as origens do coronavírus SARS-CoV-2, publicando uma “avaliação independente” de todas as conclusões científicas e técnicas disponíveis no mundo.

Veja também
+ Como podcasts podem ajudar na educação financeira do brasileiro
+ Mistério: mulher descobre que não é a mãe biológica de seus próprios filhos
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km