Giro

OMS afirma que transmissão de covid-19 na Europa é “alarmante”

Crédito: AFP/Arquivos

"Isso é menos de 1% do valor do montante comprometido por governos do G20 para pacotes de estímulos", comparou a OMS (Crédito: AFP/Arquivos)

O nível de transmissão da covid-19 na Europa é “alarmante”, afirmou nesta quinta-feira a Organização Mundial da Saúde (OMS), que se declarou preocupada com a redução do tempo de quarentena decidida ou planejada por alguns países, como a França.

“Os números de setembro deveriam servir de alerta para todos nós na Europa, onde o número de casos é superior aos registrados em março e abril, declarou em Copenhague o diretor da OMS no continente, Hans Kluge.

Mortes por covid cresceram 9 vezes no período da gestão interina de Pazuello

Não se pode transformar covid-19 em ‘futebol político’, diz OMS

A agência da ONU também descartou a modificação do tempo de quarentena de 14 dias, recomendado para todos aqueles que já estiveram em contato com o vírus.

“Nossa recomendação de quarentena de 14 dias está baseada em nossa compreensão do período de incubação e transmissão da doença. Apenas a revisaríamos com base em nosso conhecimento científico, o que não é o caso no momento”, destacou Catherine Smallwood, diretora para situações de emergência na OMS Europa.

Na França, a duração do isolamento foi reduzida para sete dias em caso de contato. No Reino Unido e Irlanda o prazo é de 10 dias. Outros países europeus, como Portugal e Croácia, também planejam encurtar as quarentenas.

Kluge recordou o “imenso impacto individual e social que pode ser provocado por uma redução de tem, inclusive mínima, da quarentena”.

“Estimulo os países da região a seguir o procedimento científico regular com seus especialistas e a explorar opções seguras de redução do tempo de quarentena”, insistiu.

A região Europa da OMS, que reúne 53 países, incluindo a Rússia, registra quase cinco milhões de casos oficiais e mais de 227.000 mortes provocadas pela covid-19, de acordo com a instituição.

Novos surtos da epidemia e a maior quantidade de testes em comparação com a onda de março-abril levaram o número diários de casos a algo entre 40.000 e 50.000. Na primeira onda, o dia 1º de abril registrou o recorde de 43.000 contágios, de acordo com a OMS Europa.

O novo recorde absoluto diário foi registrado em 11 de setembro, com 54.000 contágios em 24 horas.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?