Ciência

Ômicron representa risco global “muito alto”, mas dados sobre gravidade são limitados, diz OMS

Crédito: REUTERS/Denis Balibouse

Logo da OMS na sede da entidade em Genebra (Crédito: REUTERS/Denis Balibouse)



GENEBRA (Reuters) – A variante Ômicron do coronavirus, já detectada em mais de 60 países, representa um risco global “muito alto”, com algumas evidências de que ela foge à proteção vacinal, mas os dados clínicos sobre sua gravidade continuam limitados, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS).

A Ômicron está rodeada de incertezas consideráveis. Detectada pela primeira vez no mês passado na África do Sul e em Hong Kong, ela tem mutações que podem levar a uma maior transmissibilidade e a mais casos de Covid-19, disse a OMS em um resumo técnico emitido no domingo.

+ Coreia do Sul testará tecnologia de reconhecimento facial para rastrear casos de Covid-19

“O risco geral relacionado à nova variante de preocupação Ômicron permanece muito alto por uma série de razões”, disse a entidade, reiterando a avaliação inicial que fez da variante em 29 de novembro.



“E, em segundo lugar, as evidências preliminares sugerem uma potencial fuga imunológica humoral contra infecções e altas taxas de transmissão, o que poderia levar a novos surtos com graves conseqüências”, disse a OMS, referindo-se à potencial capacidade do vírus de escapar da imunidade proporcionada pelos anticorpos.

A OMS citou algumas evidências preliminares de que o número de pessoas sendo reinfectadas com o vírus aumentou na África do Sul.

Embora as descobertas preliminares da África do Sul sugiram que a Ômicron pode ser menos grave que a variante Delta –atualmente dominante em todo o mundo– e todos os casos relatados na região da Europa tenham sido leves ou assintomáticos, ainda não está claro até que ponto a Ômicron pode ser inerentemente menos virulenta, disse a OMS.


“São necessários mais dados para entender o perfil de gravidade”, disse a agência. “Mesmo que a gravidade seja potencialmente menor do que para a variante Delta, é esperado que as hospitalizações aumentam como resultado do aumento da transmissão. Mais hospitalizações podem representar um fardo para os sistemas de saúde e levar a mais mortes.”

Mais informações sobre a nova variante são esperadas para as próximas semanas, acrescentou a OMS.

(Reportagem de Stephanie Nebehay)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEHBC0ET-BASEIMAGE







Tópicos

África do Sul alfabeto grego alfabeto grego completo ano novo salvador cancelado Brasil brasileiro testa positivo áfrica do sul C MBIO cepa omicron coronavírus CORONAVÍRUS NOVA VARIANTE covid covid eua covid europa covid no mundo Covid-19 crescimento econômico Dimas Covas dimas covas instituto butantan economia eficácia das vacinas eficacia das vacinas do covid europa se fecha variante áfrica do sul exame covid faixa etaria vacina covid sp final de ano fronteira Instituto Butantan Israel nova variante lentidão vacinação Rússia Limeira melhor vacina covid ministério da economia nova cepa variante ômicron mutações nova variante nome das vacinas do covid nova cepa impacto economia brasileira nova cepa omicron nova variante nova variante 2021 Nova variante África do Sul Nova fronteiras nova variante áfrica do sul tem vacina? Nova variante covid África do Sul nova variante delta nova variante do coronavírus Nova Variante EUA lockdown Fauci nova variante EUA restrições nova variante quatro continentes novo coronavírus novo virus omicron o que é spike? o que se sabe omicrom omicron omicron alfabeto grego Ômicron ameaça ômicron casos Brasil Ômicron contágio omicron covid ômicron Estados Unidos Anthony Fauci Ômicron fronteiras ômicron impacto mercados financeiros Ômicron Limeira ômicron moderna vacina ineficazes Ômicron mutações Ômicron nova variante ômicron OMS ameaça mundial Ômicron onde surgiu Ômicron países já atingidos Ômicron poder de infecção ômicron presença países ômicron reino unido omicron significado grego omicron sintomas ômicron vacinas ômicron volatilidade ações bolsas Ômicron voos países africanos Ômicronimpacto atividade econômica omnicron OMS onicron Organização Mundial da Saúde (OMS) para o combate à Covid-19 David Nabarro pandemia pcr covid Pfizer pfizer omicron pode tomar a vacina do covid gripada? por que o ano novo em salvador foi cancelado? presidente da Comissão Europeia Ursula von der Leyen variante áfrica do sul programas auxílio nova cepa proteína spike quais os sintomas da nova variante delta quais os sintomas da nova variante Ômicron quais os sintomas da variante delta? qual melhor vacina contra covid? qual melhor vacina covid quanto tempo o covid fica no corpo? quinta onda quinta onda Covid Remover termo: quais os sintomas da nova variante Ômicron quais os sintomas da nova variante Ômicron? restrições sanitárias réveillon réveillon salvador cancelado Rússia confinamento Rússia recorde de casos Rússia recorde de mortes Salvador significado de omicron no grego sintomas da nova variante omicron sintomas leves de covid spike variante áfrica do sul variante áfrica do sul ações bola variante áfrica do sul contágio variante áfrica do sul defesa variante África do Sul disseminação variante áfrica do sul eficácia vacinas variante África do Sul Europa variante África do Sul fronteiras variante áfrica do sul impacto bolsas variante África do Sul imunizantes variante áfrica do sul países variante África do Sul países atingidos variante África do Sul pesquisa variante áfrica do sul presença variante áfrica do sul vacinas variante B.1.1.529 África do Sul muitas mutações Variante delta 2021 Variante delta Auckland variante delta austrália variante delta brasil Variante delta como testar Variante delta eficácia variante delta mais letal variante delta Nova Zelãndia variante delta países Variante delta rio variante delta Sao Paulo variante delta sintomas Variante delta vacinas variante delta volta variante omicron variante omicron sintomas variante omicron vacina vírus