Mundo

Ômicron: França adota medidas mais restritivas para conter casos de Covid-19

Crédito: Marc A. Hermann / MTA

Comprovante de vacinação será exigido em locais como restaurantes, cinemas e transporte público (Crédito: Marc A. Hermann / MTA)

O aumento nos casos de Covid-19 na França fez com que o governo de Emmanuel Macron tomasse novas medidas de restrição no país nesta segunda-feira (27).

No último sábado, dia do Natal, o país registrou mais de 100 mil novas infecções por conta da variante Ômicron. Uma das mudanças anunciadas são as novas regras para o passaporte sanitário. O certificado para entrar em cinemas, restaurantes, ônibus e outros locais públicos só será emitido para quem tiver tomado ao menos duas doses da vacina. O teste negativo não será mais suficiente. 



+Ômicron: veja as boas e as más notícias relacionadas à variante do novo coronavírus

O primeiro-ministro francês, Jean Castex, anunciou que nas próximas três semanas as grandes reuniões serão limitadas a 2 mil pessoas, em ambientes fechados, e 5 mil ao ar livre. O consumo de alimentos e bebidas em cinemas, shows, eventos esportivos e transporte público também estão proibidos. Além disso, ele incentivou o trabalho de casa por até três dias na semana.

Castex também anunciou que a dose de reforço poderá ser adiantada para três meses depois da segunda. Apesar disso, o governo declarou que nenhuma medida mais drástica de toque de recolher será tomada até o dia 31 de dezembro e que a volta às aulas das crianças está confirmada para o dia 3 de janeiro.  

+ Especialista revela o segredo dos bilionários da bolsa. Inscreva-se agora e aprenda!