Giro

Ômicron: 3 doses mostram 80% de eficácia em menores de 5 anos, diz Pfizer

Crédito: Reprodução/Pixabay

O teste não foi grande o suficiente para estimar a proteção contra doenças graves, que os especialistas esperam que seja maior. (Crédito: Reprodução/Pixabay)



Em dados há muito aguardados, a Pfizer anunciou que um esquema de três doses da sua vacina contra a Covid-19 mostrou ser 80% eficaz no combate à infecção sintomática da Ômicron, em crianças de seis meses a menos de 5 anos, segundo o ‘ABC News’.

Contudo, a empresa alertou que a estimativa é preliminar e pode ser ajustada à medida que mais dados forem coletados. O teste não foi grande o suficiente para estimar a proteção contra doenças graves, que os especialistas esperam que seja maior.

+ EUA irão distribuir vacinas contra varíola do macaco para população mais vulnerável

Para todas as faixas etárias, a eficácia da vacina contra infecções mais leves diminuiu diante da variante Ômicron altamente transmissível, mas a eficácia contra doenças graves e morte permaneceu alta para a maioria das faixas etárias.



A Pfizer anunciou em dezembro que não avançaria com um esquema vacinal de duas doses após dados dececionantes, optando por estudar as três doses para essa faixa etária. A empresa enviará os novos dados como parte da sua submissão contínua ao FDA.

Para pais ansiosos, as notícias da Pfizer oferecem a garantia de que a vacina ajuda a proteger crianças pequenas que atualmente não são elegíveis para vacinação.

A notícia não altera o cronograma geral de quando as vacinas para essa faixa etária poderão estar disponíveis. Para os americanos mais jovens, espera-se que as vacinas da Pfizer e da Moderna sejam autorizadas em junho ou julho, provavelmente como uma vacina de duas doses para a Moderna e uma vacina de três doses para a Pfizer, embora a Moderna também esteja a estudar uma terceira dose.


A Pfizer também disse que sua vacina era segura, com um perfil de segurança semelhante ao das injeções de placebo. Se autorizada, esta vacina seria de 3 injeções de 3 microgramas cada. Cada dose é um décimo da dose para adultos.

“Estamos satisfeitos que nossa formulação para as crianças mais novas, que selecionamos cuidadosamente para ser um décimo da dose para adultos, tenha sido bem tolerada e produziu uma forte resposta imunológica”, disse Albert Bourla, presidente e diretor executivo da Pfizer, em observações preparadas.

A Moderna, por sua vez, pediu autorização ao FDA em 28 de abril para uma vacina de duas doses para essa faixa etária. A análise preliminar da Moderna descobriu que a sua vacina pediátrica de duas doses foi 51% eficaz contra COVID-19 sintomático entre crianças de 6 meses a menos de 2 anos e 27% entre crianças de 2 a 5 anos.

Os especialistas alertam que a eficácia da vacina contra a infecção sintomática é de nível alto, e esperam que essas vacinas ofereçam excelente proteção contra doenças graves, assim como fazem para adultos.

Este desenvolvimento significa que a Pfizer está um passo mais perto de enviar sua vacina para uma autorização de uso de emergência, sendo provavelmente revista pelos consultores da FDA nas reuniões de 21 e 22 de junho e, se autorizada, estará disponível no início de julho.







Tópicos

4ª dose israel 4ª dose necessária 4ª dose vacinas a pandemia acabou? África Agência Europeia de Medicamentos aglomerações álcool 70 anticorpo monoclonal anticorpos covid sintomas anticorpos infectados nova infecção anticorpos monoclonais aprovação Agência de Alimentos e Medicamentos aprovação FDA assintomática omicron assintomatico transmite omicron AstraZeneca astrazeneca trombose aumento de casos autorização Agência Europeia de Medicamentos autoteste coronavírus autotestes covid-19 avanço do coronavírus AVCBA.1BA.2 baixíssimos índices de imunização casos cepa delta china aprova tratamento colaboração Universidade de Oxford criação vacina Como ocorre a transmissão da COVID-19? congestão nasal conjunto de evidências favoráveis conter o avanço do coronavírus coração coriza coronavírus coronavírus alimentação coronavírus animais coronavírus estudos coronavírus soja corticoides covid covid covid anticorpos covid antiviral medicamento covid brasil covid china covid deixa sequelas? covid em idosos covid longa covid longa omicron covid medicamentos covid passa para animais covid remédios covid restrições covid risco cardíaco covid tratamento covid tratamentos covid vacinas Covid variantes Covid-19 crianças de 5 a 11 anos cuidados DASADB MOLECULA Delta descuida disseminação da BA.2 doença infectocontagiosa doenças doenças virais dor de cabeça dor de garganta dor muscular dor no corpo dose de reforço dose única doses de vacinas doses de vacinas contra a covid-19 efeitos permanentes eficácia da vacina especialistas evitar aglomerações falta de ar FDA flexibilização nas medidas de segurança gorilas com covid hábitos de prevenção do coronavírus HEALTH GROUP Higiene Pessoal impacto global impacto global da nova variante imunidade crianças imunidade populacional imunização imunizados imunizados naturais imunizados têm que usar máscaras índices de casos índices de imunização infecção infecções infectados imunizados infectologista influenza ITpS laboratório Astrazeneca laboratório britânico AstraZeneca lentidão vacinação Rússia letargia lockdown pequim mal estar máscara máscara de proteção máscara vacina máscaras vacina OMS medicamento anticovid MSD dinamarca medicamento MSD covid medicamentos para covid omicron medidas medidas de segurança morador da capital paulista mortes mortes causadas pela doença mortes por covid-19 nariz entupido notificações por mortes nova variante novas variantes novas variantes no mundo número de casos O que é a subvariante BA 2 do COVID-19? o que é ômicron xe? o que é trombose o que funciona covid O que tomar para a variante Ômicron da COVID-19? óbito zero omicron Ômicron BA.2 omicron quantos dias de isolamento Ômicron reinfecção ômicron subvariante ômicron xe OMS organização mundial da saúde pandemia perda de olfato perda de paladar pesquisador científico do ITpS pets têm covid? Pfizer BioNTech vacina crianças pilula contra covid pode haver duas infecções diferentes população completamente imunizada posso me infectar depois de vacinado? Posso não apresentar sintomas da COVID-19 prevenção do coronavirus Prevenir primeira dose primeira dose adicional primeiro dia sem mortes causadas pela covid-19 primeiros sintomas omicron principais sintomas da ômicron principais sintomas ômicron problema do coração quadros leves quais os sintomas da omicron a nova variante Quais são os principais cuidados para evitar a contaminação familiar de COVID-19? Quantos dias para aparecer os sintomas da Omicron? quantos faltam vacinar? quarentena obrigatória china quarentena obrigatória obrigatória pequim que alimentos inibem o coronavírus Que máscara uma pessoa que suspeita ter COVID-19 deve usar? Quem deve seguir usando máscara? quem deve tomar 3ª dose? RAQUEL STUCCHI recomendações recomendações dos especialistas recorde casos covid-19 redução nas mortes reinfecção reinfecção coronavírus reinfeccao omicron Reino Unido remédios para covid omicron Renato Kfouri responsável pela análise risco cardíaco risco de de doenças virais Rússia saúde SBIm segunda dose segunda dose adicional segunda dose da vacina segurança vacinas crianças sequelas covid sinais e sintomas da omicron sintomas sintomas da dengue sintomas da omicron em vacinados sintomas de gravidez sintomas ômicron sintomas pós covid omicron Sociedade Brasileira de Imunizações subavirante ômicron sublinhagem Ômicron BA.2 sublinhagens BA.1 e BA.2 subvariante subvariante BA.2 super imunes covid superanticorpo superimunes covid superimunes genes surgimento novas variantes no mundo taxa de população completamente imunizada terceira dose em adultos terceira dose vacina covid terceira dose vacina UE terceira dose vacina União Europeia teste covid farmacia testes tosse transmissão adolescentes crianças tratamento anticorpos monoclonais china tratamento covid longa Sus tratamento para covid omicron tratamento pós-covid Sus tratamento sequelas covid sus tratamentos tratar as doenças trombose vacina idosos Ufscar União Europeia Unicamp united uso de máscara vacina 3ª dose vacina anticovid-19 Vaxzevria vacina colaboração Universidade de Oxford vacina covid crianças vacina da Pfizer vacina duas doses protege mais que a de dose única? vacina segura tolerada crianças vacina trombose vacina Universidade de Oxford vacinação vacinação adolescentes vacinação contra a covid-19 vacinados infectados imunidade variante delta variante delta países variante delta volta variante gama Variante gama é perigosa? variante gama Manaus Variante Gamma variante omicron ba 2 variante omicron é mais letal variante omicron letalidade variante omicron mortes variante omicron no brasil variante omicron no brasil sintoma variante omicron sintomas variante omicron sp variante omicron vacina variantes Vaxzevria verão virologista virologista Anderson Brito vírus vírus da influenza vírus pandêmico vírus recombinante vítimas vítimas do vírus zika