Agronegócio

Oferta de carne suína da China continuará restrita por anos, avalia Jefferies

Pequim, 20 – É improvável que a oferta de carne suína da China se recupere logo, mesmo com a alta de 50% nos preços do produto, já que os agricultores reduziram a produção de animais em virtude do surto de peste suína africana (ASF, na sigla em inglês), avalia o banco de investimentos Jefferies. O banco estima que a produção pode cair mais de 30% neste ano e outros 5% no próximo ano, levando à prolongação de preços alto.

A produção chinesa de suínos não deve se recuperar dos níveis anteriores à peste suína até pelo menos 2022/2023, projeta Jefferies.

O banco norte-americano afirma que a epidemia da doença deve ficar ainda “muito pior”. A instituição financeira considera que a perda de animais reprodutores provavelmente foi subestimada.

Fontes do Jefferies afirmam que até 50% do plantel reprodutor foi dizimado pela doença em algumas regiões. Fonte: Dow Jones Newswires.