Edição nº 1096 15.11 Ver ediçõs anteriores

O último recorde da Aston Martin

Um dos carros de corrida mais velozes de todos os tempos da montadora britânica Aston Martin será leiloado na casa de leilões RM Sotheby’s, na cidade americana de Monterey, na Califórnia, entre 24 e 25 de agosto. O modelo DP215, de 1963, representa o auge da marca em competições. Desenvolvido para a tradicional 24 horas de Le Mans, esse foi o primeiro carro a quebrar a marca de 300 km/h. O responsável por esse feito foi o americano Phil Hill, tricampeão da prova francesa e campeão mundial de Fórmula 1. O Aston Martin que vai a leilão foi o último construído pela fábrica na era do fundador David Brown. Os atuais proprietários, os britânicos Neil e Nigel Corner, são considerados sinônimos da preservação de carros históricos de corrida. No ano passado, outro modelo DP 215, de 1956, foi vendido por US$ 22,5 milhões, um dos mais caros já leiloados.

(Nota publicada na Edição 1079 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Tenha o rascunho de Da Vinci

Um desenho que mostra São Sebastião amarrado a uma árvore e atribuído a Leonardo da Vinci (1452-1519) poderá alcançar um valor entre [...]

Relógio de luxo só para quem tem Bitcoin

A grife suíça Hublot acaba de lançar mais um relógio, o Big Bang Meca-10 P2P. A curiosidade é que ele só pode ser comprado em bitcoin e [...]

Comemore o gol com The Icon

Bebida e jogo sempre estão intimamente entrelaçados. Pelo menos, entre escoceses e ingleses, notórios beberrões. Agora a coisa virou [...]

Quer ser vizinho de Trump?

Basta desembolsar US$ 135 milhões e você poderá morar ao lado da mansão que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, possui em [...]

Diamante de Marilyn vai a leilão

O colar de diamantes “Lua da Baroda” tem lapidação em formato de pera e coloração amarelada nas pontas, mas o que o torna especial é o [...]
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.