Edição nº 1100 14.12 Ver ediçõs anteriores

O tuíte mais caro da história

Boca fechada não entra mosca. E nem custa milhões de dólares. Essa é uma lição que Elon Musk, o fundador e CEO da Tesla, precisou aprender na marra. Por conta de uma mensagem publicada no Twitter em agosto, o empresário foi multado em US$ 20 milhões pela Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês). Outros US$ 20 milhões serão cobrados dos acionistas majoritários da empresa. Não bastasse isso, ele precisou renunciar à presidência do conselho de administração da fabricante de veículos e ainda passou a ter todas as suas comunicações supervisionadas. Na ocasião, o executivo escreveu no microblog que estava cogitando fechar o capital da Tesla caso as ações atingissem a cotação de US$ 420 cada. A postagem causou polêmica e fez a empresa ver seus papéis se valorizarem 11% no dia seguinte. O problema é que a publicação foi interpretada pelo SEC, o órgão que regula o mercado americano, como uma tentativa de manipular os acionistas e cometer fraude corporativa. melhor ter ficado quieto.

(Nota publicada na Edição 1090 da Revista Dinheiro)


Mais posts

O homem que entregava dados

O Parlamento Britânico acusa o Facebook de ceder dados de usuários da rede social para terceiros. As informações teriam sido repassadas [...]

Carrinho cheio

(Nota publicada na Edição 1100 da Revista Dinheiro)

A amizade que vale US$ 100 milhões por ano

Sucesso nos anos 1990, a sitcom Friends não vai deixar o catálogo Netflix. Pelo menos até o fim de 2019. Segundo o jornal The New York [...]

Internet à cubana

A partir das 8h da quinta-feira 6 já era possível conectar-se à internet usando as redes móveis em Cuba. O que parece algo corriqueiro [...]

Robô no volante

A Alphabet, holding que controla o Google, está acelerando o seu projeto de carros autônomos. Nesta semana, a Waymo, uma das companhias [...]
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.