Edição nº 1134 19.08 Ver ediçõs anteriores

O tuíte mais caro da história

Boca fechada não entra mosca. E nem custa milhões de dólares. Essa é uma lição que Elon Musk, o fundador e CEO da Tesla, precisou aprender na marra. Por conta de uma mensagem publicada no Twitter em agosto, o empresário foi multado em US$ 20 milhões pela Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês). Outros US$ 20 milhões serão cobrados dos acionistas majoritários da empresa. Não bastasse isso, ele precisou renunciar à presidência do conselho de administração da fabricante de veículos e ainda passou a ter todas as suas comunicações supervisionadas. Na ocasião, o executivo escreveu no microblog que estava cogitando fechar o capital da Tesla caso as ações atingissem a cotação de US$ 420 cada. A postagem causou polêmica e fez a empresa ver seus papéis se valorizarem 11% no dia seguinte. O problema é que a publicação foi interpretada pelo SEC, o órgão que regula o mercado americano, como uma tentativa de manipular os acionistas e cometer fraude corporativa. melhor ter ficado quieto.

(Nota publicada na Edição 1090 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Nike lança assinaturas

Plataformas tecnológicas foram as que mais se aproveitaram para a reinvenção de segmentos a partir de assinaturas – Netflix é um [...]

Tá buscando o quê?

Mais das metades das buscas no Google geram zero clique. No restante, 9 em cada 10 clicam em links orgânicos e 1 nos links [...]

Tecnologia tá dizendo: seu comportamento é genético

Pesquisadores da Universidade Utah Health, liderados por Christopher Gregg, tentam entender a relação entre comportamento e genética. E [...]

DiDi cria empresa para carro autônomo

Líder global em transporte por aplicativo, a DiDi – dona da 99 no Brasil – anunciou que sua unidade de veículos autônomos, criada em 2016, será transformada em uma empresa independente. A decisão foi tomada para concentrar, e acelerar, produtos e soluções de P&D. O atual head de tecnologia da DiDi, Bo Zhang, será CEO […]

A onda Podcast

(Nota publicada na Edição 1134 da Revista Dinheiro)
Ver mais