Tecnologia

O SALTO DA ITAUTEC

Os principais executivos da Itautec-Philco avisaram em suas casas que irão viajar muito nos próximos meses. A companhia que fabrica computadores, televisores e equipamentos eletrônicos não está satisfeita com as limitações do mercado local e quer desembarcar com força em diversos países. A investida acontecerá em duas frentes. A primeira será ampliar a participação em mercados onde está presente, como os Estados Unidos. A segunda é chegar em novos territórios na Europa e na América do Sul. Em cada um deles, a empresa disputará espaço com grandes marcas mundiais. Aos americanos, será oferecida uma linha ainda mais sofisticada de televisores e a expectativa é dobrar nos próximos doze meses o volume exportado atualmente. A divisão de PCs quer fortalecer sua presença em Portugal, porta de entrada para o mercado europeu, e no Uruguai, onde estuda abrir lojas sob a bandeira Trendshop para vender diretamente ao consumidor. Até os manuais de instalação foram traduzidos para o espanhol. Nos próximos três meses, uma reunião irá decidir sobre a entrada na Espanha, Chile e México. ?Sair para outros países é uma questão de sobrevivência?, afirma Gabriel Marão, vice-presidente da Itautec-Philco. ?Com a globalização, ou estamos onde nossos clientes estão ou perdemos o que conquistamos.? Nas metas de Marão, a exportação de aparelhos de automação comercial e de computadores representará entre 20% a 30% do faturamento em três ou quatro anos. Hoje não passa de 5%.

 



A razões para essa nova estratégia podem ser encontradas dentro do próprio Brasil. O mercado nacional de computadores, além de muito competitivo, é dominado por fabricantes que, vez por outra, importam irregularmente componentes ? o chamado mercado cinza. Com preços mais baixos, esses produtores esmagam as margens de lucro, que giram em torno de 5%. ?O lucro no Brasil com a venda de PCs não justifica uma operação do nosso tamanho?, diz Marcelo Quintãs, analista do instituto de pesquisas IDC. Para sair dessa situação, a Itautec coloca diariamente sua equipe de 300 desenvolvedores para desenhar produtos de alto valor agregado, como o software. É o caso do WebWay, um quiosque de auto-atendimento bancário com navegação na internet; do Siga, um terminal de senha que organiza as filas de consumidores, e do Infomusic, um totem para escutar música digitalizada nas lojas de CDs. São esses os produtos que a Itautec pretende colocar dentro dos contêineres para exportação.

No próximo dia 12, os principais executivos da companhia paulistana irão receber o prêmio de melhor design de produto na maior feira de tecnologia do mundo, a Cebit, em Hannover, na Alemanha. A vedete é o Siga, o terminal de senhas. No ano passado, a companhia também levou o mesmo prêmio com o terminal público de acesso à internet Webway. O sucesso levou a empresa este ano a alugar um estande próprio na feira, com 65 m2. Do jeito que o negócio vai, é melhor a turma se acostumar a preparar as malas. ?Estivemos na Cebit no ano passado, vamos este ano e também iremos em 2004?, diz Marão. ?Nosso objetivo é ter uma presença constante e consistente no exterior.?

+ Confira 10 receitas para reaproveitar ou turbinar o arroz do dia a dia