O revolucionário Novo Chile e seus vinhos em “escala humana”

O revolucionário Novo Chile e seus vinhos em “escala humana”

Laura Hartwig: vinícola chilena obteve três medalhas de Ouro no 10º Brazil Wine Challenge

Assim como tem ocorrido em outras partes do mundo, a viticultura no Chile vem evoluindo de forma rápida e com resultados surpreendentes. Isso vale tanto para grandes produtores – caso da Viña Don Melchor, cujo exuberante cabernet sauvignon da safra 2018 acaba de receber 100 pontos de James Suckling – quanto para as vinícolas familiares e de produção em “escala humana”. O termo define as empresas em que o proprietário está envolvido em todos os processos, desde o manejo do vinhedo até o engarrafamento.
Embora a qualidade alcançada em safras recentes no Chile tenha sido distribuída de forma generosa entre os vários perfis de produtores, tem cabido aos pequenos a tarefa de perseguir a inovação, revolucionando o que se produz no país com uma combinação de ousadia e comprometimento com a excelência.
É isso o que se observa nos rótulos que integram o projeto Vinhos do Novo Chile, nascido da união de oito produtores dedicados a elaborar rótulos exclusivos em quantidades limitadas e que expressem o melhor do país em três categorias: Castas Patrimoniais, Clássicos Reinventados e Terroirs Extremos.
Na quarta-feira (10), duas excelentes amostras do que esses produtores são capazes de oferecer foram apresentadas em uma degustação especial no âmbito do Novo Chile On-Wine, programa criado por iniciativa do brasileiro David Giacomini, que também produz vinhos de escala humana sob a marca La Recova, no Valle de Casablanca. Virtual, internacional e gratuito, o evento Novo Chile On-Wine vai até o início de dezembro com uma programação de palestras, degustações, lives e entrevistas com enólogos chilenos de vanguarda. As duas garrafas degustadas evidenciam que a revolução do vinho chileno está no caminho certo.
O enólogo Rodrigo Romero apresentou seu Trapi Pinot Noir 2017, produzido de forma artesanal a partir de uvas colhidas em vinhedos situados numa das áreas de cultivo mais frias do Chile, no Valle de Osorno, na Patagônia (latitude 40°17′, extremo sul do país). A colheita e seleção de cachos e grãos é feita à mão e a fermentação se dá com leveduras nativas. Envelhecimento em barricas francesas por 12 meses, o vinho não é filtrado, mas nem por isso tem aparência carece de limpidez. Na boca é profundo e intenso, no melhor estilo da Borgonha, ainda que capture a delicada frescura e a tensão especial do clima frio do extremo sul do Chile.
O segundo vinho foi apresentado por Alejandro Hartwig, que pertence à nova geração da vinícola familiar criada nos anos 1970 no Valle de Colchagua. Alejandro apresentou o Edición de Família 2015, um dos principais rótulos da vinícola Laura Hartwig, recentemente premiado no 10º Brazil Wine Challenge com medalha de Ouro, assim como outros dois vinhos inscritos pela vinícola na avaliação.
Trata-se de um blend das uvas cabernet sauvignon (50%), malbec (28%), petit verdot (12%) e cabernet franc (10%) elaborado pelo enólogo Renato Czischke. Um tinto elegante e delicado, que envelheceu em barricas por 20 meses e repousou mais um ano em garrafa antes de chegar ao mercado. Mundialmente reconhecido, recebeu 94 pontos tanto do Guia Descorchados quanto de Tim Atkin, e 95 pontos de James Suckling. Tem nariz frutado, com notas de especiarias, chocolate meio amargo, cassis e grafite. Os dois vinhos podem ser encontrados no site www.dagirafa.com.br.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?


Mais posts

A “Safra das Safras”, enfim nas taças de quem conhece

Se a pandemia transformou o mercado de vinhos no Brasil, com um aumento no consumo estimado em 32% (na comparação de janeiro a agosto [...]

Vinhos de Portugal seguem em alta no Brasil

Mal terminou o primeiro Festival Vinhos de Portugal, que entre os dias 23 de outubro e 1º de novembro envolveu 2,5 mil lojas de 18 [...]

Uma Grande Medalha de Ouro entre 77 vinhos provados em dois dias

Quando ocupei meu lugar como jurado à mesa do 10 o Brazil Wine Challenge, em Bento Gonçalves, na manhã da quarta-feira (14), um terço [...]

O máximo da Garzón, em doses mínimas

Quando se avista a incomum paisagem formada pelos vinhedos da Bodega Garzón, no Uruguai, a impressão é de uma colcha de retalhos. São [...]

Las Veletas: 95 pontos, 100 reais

Philippe de Nicolay Rothschild ainda não havia chegado à adolescência quando seu pai o apresentou aos vinhos que a família produz – e que estão entre os melhores do mundo. Em seu aniversário de 11 anos, provou meia taça de um Chateau Lafite 1911. Gostou. Décadas depois, ao se mudar para o Brasil, ficou chocado […]

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.