Edição nº 1092 19.10 Ver ediçõs anteriores

O renascimento da Levis

O renascimento da Levis

A Levis estará de volta às ruas oito décadas após a sua falência, em meio a Segunda Guerra Mundial. Não se trata da marca americana de roupas, mas da fabricante inglesa de motocicletas, que foi uma das líderes de mercado entre 1910 e 1940. A crise econômica provocou o fechamento da fábrica. Agora, o empresário inglês Phil Bevan decidiu criar um protótipo para homenagear a antiga motocicleta. O projeto foi desenvolvido pelo designer Steve Kirk, que já fez trabalhos para a Hyundai e Huawei. O resultado é o modelo V6 Cafe Racer, uma moto feita de aço inoxidável, equipada com um motor V6 de 1,2 mil cilindradas e 120 cavalos de potência. Ela chega ao mercado em 2020, com preço sugerido de US$ 133,7 mil (cerca de R$ 498 mil).

(Nota publicada na Edição 1091 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Ducasse sobre o Sena

Primeiro chef a receber três estrelas do guia Michelin, o francês Alain Ducasse (na foto, ao centro, de terno escuro) inaugurou um novo [...]

Tacada em alto estilo

Os amantes do golfe têm dois atrativos para visitar a Sicília, ilha localizada no sul da Itália. O hotel Verdura Resort, entre as [...]

Mansão vertical

O empresário argentino Eduardo Eurnekian, dono da Corporacion America Airports, a maior operadora de aeroportos do mundo, presente em [...]

A luz das nuvens

A fabricante italiana de luminárias Nemo lançou uma coleção inspirada em Mario Bellini, um dos arquitetos mais premiados da Itália. Ele [...]

Um registro do tempo

Um leilão de 78 imagens de fotógrafos modernistas europeus, dos séculos XIX e XX, arrecadou US$ 2,7 milhões no evento realizado pela [...]
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.