Mundo

O que se sabe sobre o incêndio da Notre-Dame de Paris

Um incêndio que começa no topo da catedral, um teto que desmorona e uma flecha em colapso. É o que sabemos do violento incêndio que devastou na segunda-feira a emblemática catedral de Notre-Dame de Paris.

– O fogo começou no teto –

Na segunda-feira às 18h20 (16h20 GMT) um primeiro alerta foi recebido de Notre-Dame, “mas nenhum foco de incêndio foi encontrado”, disse o promotor de Paris, Remy Heitz. Vinte minutos depois, as chamas foram detectadas no telhado, depois do recebimento de um segundo alerta.

“Eu não estava longe, vi a fumaça. No começo eu pensei que fosse o [hospital] Hotel-Dieu e depois eu entendi que era realmente a catedral. Cheguei e as cinzas começaram a cair”, diz Olivier de Chalus, guia voluntário da catedral.

O fogo, cuja origem é desconhecida, começou no topo e se espalhou rapidamente para uma parte do telhado.

Como a catedral foi evacuada, não houve vítimas, exceto por um bombeiro que sofreu ferimentos leves.

As chamas devoraram a cobertura de madeira de mais de 100 metros conhecida como “floresta” devido ao “grande número de vigas necessárias para instalá-la, cada uma vindo de uma árvore”.

A procuradoria de Paris abriu uma investigação judicial por “destruição involuntária”.

Os investigadores privilegiam a pista de um início de incêndio acidental nas obras feitas no telhado da catedral.

Cinco empresas trabalhavam nas obras de renovação. Os operários começaram a ser interrogados na noite de segunda-feira.

“Cerca de 50 investigadores estão mobilizados”, disse o ministro do Interior.

– Incêndio “controlado” –

Após cerca de quinze horas de trabalhos, os bombeiros anunciaram na madrugada desta terça-feira que o incêndio estava “completamente controlado”.

Cerca de 400 bombeiros com 18 mangueiras trabalharam sem descanso para sufocar as chamas. A água era bombeada do rio Sena, localizado a uma dezena de metros do templo.

Utilizar aviões de tipo Canadair sobre a catedral era impensável: “O lançamento de água com um avião sobre este tipo de edifício poderá provocar o colapso do conjunto da estrutura”, tuitou a Defesa Civil.

Segundo o secretário de Interior, Laurent Nuñez, a catedral se salvou “por 25 minutos, ou meia hora”.

– Quais foram os danos? –

Às 17h50 GMT, a flecha da catedral, um dos símbolos de Paris, cuja extremidade estava 93 metros acima do solo, desmoronou. Em poucas horas, uma boa parte do teto do prédio foi reduzida a cinzas.

“Todo o telhado está danificado, toda a estrutura ficou destruída, uma parte da abóboda caiu, a flecha já não existe”, resumiu nesta terça-feira o porta-voz dos bombeiros de Paris, Gabriel Plus.

“Globalmente, a estrutura se mantém”, mas foram identificadas “vulnerabilidades”, em particular na abóbada do edifício.

Vários tesouros foram salvos das chamas, mas outros, que não puderam ser deslocados, estavam sendo monitorados pelos bombeiros.

A coroa de espinhos e a túnica de São Luís, duas relíquias importantes, puderam ser salvas, indicou monsenhor Patrick Chauvet, o reitor da catedral.

– “Anos de obras” –

Restaurar o edifício demandará “anos de obras”, estimou o novo presidente da Conferência Episcopal Francesa, Eric de Moulins-Beaufort.

“Reconstruiremos a catedral ainda mais bela e quero que esteja terminada em cinco anos”, disse o presidente Emmanuel Macron nesta terça-feira.

Doações de empresas e de milionários franceses começaram a chegar desde segunda-feira. Nesta tarde já superavam os 700 milhões de euros.