Artigo

O que os dados revelam no mundo pós-pandemia?

Fomos dormir e acordamos imersos em uma crise que fez o mundo mudar totalmente. De uma hora para outra, o home office foi implementado de maneira forçada, ferramentas tecnológicas foram adaptadas às pressas e até o conceito de telemedicina foi autorizado de forma provisória.

Crédito: Evandro Rodrigues

A transformação digital chegou antes do planejado à maioria das organizações, traçando novos rumos e direções. O coronavírus foi um acelerador desse movimento e as empresas precisaram sentir na prática como a tecnologia pode ser um trunfo para salvar os negócios. O mundo pós-pandemia vai trazer uma nova realidade em todos os aspectos, principalmente nos negócios — que se tornarão mais digitais e, certamente, usarão dados para sobreviver.

O isolamento social mostrou que muitas empresas não sabiam lidar com o mundo digital. Os colaboradores precisaram trabalhar remotamente, mas todos os insumos e dados necessários para manter o negócio rodando estavam presos ao escritório. Agora é preciso acessar os dados em qualquer local e processá-los rapidamente para manter a competitividade em um cenário cheio de incertezas. Mais do que nunca torna-se imprescindível o uso de ferramentas em cloud computing. As corporações que melhor se adaptaram são as que já utilizavam essas soluções.

Dados podem impactar a vida de todas as pessoas. No início da quarentena foi possível perceber uma queda de 33% no deslocamento das pessoas para os locais de trabalho no Paraná, segundo o Google. Como isso foi possível? A partir da captura de informações de utilização dos smartphones. Ou seja, informações digitais. Uma enorme quantidade de dados é gerada e compartilhada diariamente em todo o mundo. No caso da pandemia há diversos conteúdos e análises que podem ser obtidas, como a eficácia do isolamento social e até a evolução de disseminação da Covid-19. São informações que precisam ser capturadas, armazenadas e processadas para gerar inteligência. Trabalhar com dados é, enfim, uma questão de sobrevivência.

Dessa forma, o cenário atual traz uma reflexão importante para o mundo corporativo: dados certos são diferenciais importantes para a tomada de decisão. Seja para identificar o avanço da doença provocada pelo novo coronavírus ou para identificar tendências em um segmento, é preciso ter essas informações em mãos para obter inteligência competitiva. Em suma: é preciso adotar uma cultura data driven, com decisões baseadas em dados.

Evidentemente há desafios importantes neste novo momento. As empresas precisam lidar com uma grande quantidade de dados não estruturados — e é neste ponto que entram as soluções de Big Data Analytics. É necessário apostar na contratação de profissionais que conseguem extrair valor dessas informações. Por fim, reconhecer que a crise provocada pelo novo coronavírus exige a transformação e até a criação de muitos modelos de negócios — o que só é possível a partir dos dados.

Estar atento a essas informações para tomar decisões estratégicas, lançar novos serviços e produtos e aprimorar a comunicação com os consumidores são tópicos que irão se impor na pauta de toda empresa nos próximos meses. Os dados serão os grandes responsáveis pelo sucesso de qualquer negócio.

O mundo pós-pandemia será bem diferente de tudo o que já vivemos e a tecnologia vai desempenhar um papel central nas relações sociais. As empresas de todos os portes deverão passar por uma mudança cultural e estarão mais atentas a momentos de crise. Sem dúvida, vão dar mais atenção a seus dados e onde eles ficarão armazenados. Usarão informações lapidadas para a tomada de decisão e estarão em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que entrará em vigor em 2021. Já passou da hora de andarmos duas casas para frente. Os dados mostraram o caminho.