O preço do iPhone caiu. Mas não aqui

O preço do iPhone caiu. Mas não aqui

A Apple cortou os preços de iPhones, iPads e outros produtos na China. A medida aconteceu logo após a queda de 3 pontos percentuais no imposto sobre valor agregado (o equivalente ao ICMS) que entrou em vigor dia 1º de abril no país. O mais recente iPhone XS, de 64GB, agora custa 8.199 yuans (US$ 1.220), o que representa menos US$ 74, ou 5,8% mais barato para os compradores chineses. O iPhone XR baixou o preço final em 4,6%. As vendas de smartphones da Apple na China caíram por mais de três anos seguidos. Em janeiro, o CEO, Tim Cook, alertou os investidores de que as condições econômicas “mais severas” na China pesaram sobre as vendas do iPhone em 2018. Mesmo com o gráfico da empresa na descendente, o país asiático continua sendo mercado chave para a Apple, respondendo por mais de 15% do volume global. Com a queda nos preços de agora, superiores ao corte do imposto adotado pelo governo chinês, as ações da tech giant deram um salto e subiam 2,78% entre o dia do anúncio e o pregão seguinte, de terça-feira.

(Nota publicada na Edição 1115 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Transação digital em alta

O Sicoob, maior sistema financeiro de cooperativa do País, anuncia que 78% das transações realizadas em 2019 foram por meio dos canais [...]

Novo modelo do Salão do Automóvel

O tradicional Salão do Automóvel de São Paulo sofre como as demais feiras mundiais, o esgotamento do formato. Resultado: 12 marcas já [...]

Da Bahia para a Nasa

Cinco jovens estudantes de Salvador venceram o Nasa Space Apps Challenge International 2019 ao criarem um dispositivo que recolhe [...]

Celular com tela dobrável

A Samsung apresentou nesta semana para o mundo o Galaxy Z Flip, novo smartphone com tela dobrável. Com dobradiça oculta e UX [...]

SKY nas nuvens

Maior operadora de TV via satélite do Brasil, a SKY aderiu às soluções da Equinix, empresa global de interconexão e data center, para [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.