Edição nº 1126 20.06 Ver ediçõs anteriores

O para-choque da Plascar

Não é novidade para ninguém que a Plascar, uma das maiores empresas de autopeças do Brasil, tem passado por sérias dificuldades nos últimos anos. De acordo com o balanço mais recente, divulgado em junho deste ano, suas dívidas são de R$ 838,9 milhões e ela tem um patrimônio líquido negativo de R$ 332,7 milhões. E, depois de procurar alguns dos maiores escritórios de reestruturação do País, a empresa agora está contando com a ajuda do grupo Fiat Chrysler Automobiles (FCA). Há quem afirme que a FCA estaria assumindo a companhia. Mas fontes que conhecem a operação afirmam que a montadora está apenas auxiliando nas negociações com os bancos. Detalhe: em 2007, o valor de mercado da companhia era de R$ 1,56 bilhão e, na semana passada, ela era cotada a R$ 26,1 milhões.

(Nota publicada na Edição 1085 da Revista Dinheiro, com colaboração de: Hugo Cilo)


Mais posts

A gente não quer só salário

Em um processo seletivo, só o salário oferecido não basta para atrair bons profissionais. Para 40% dos entrevistados pelo 8º Índice de [...]

Eurofarma olha para fora

O laboratório brasileiro Eurofarma, uma das maiores do setor na América Latina e com negócios em 20 países, vai intensificar seu [...]

Mais um rival para o Netflix

Foi no início da década de 1960 que a BKS começou a entrar nos lares brasileiros – e já naquela época, por meio da televisão. [...]

Veloe não perde tempo

A guerra do mercado de pagamento eletrônico de pedágios se acirra mais a cada dia. Ao mesmo tempo em que o banco digital C6 inicia [...]

Plano de engorda dos lucros

O mercado de produtos naturebas nunca cresceu tanto como nos últimos anos – e deve ganhar ainda mais musculatura daqui para frente. [...]
Ver mais