Edição nº 1109 22.02 Ver ediçõs anteriores

O novo aroma da Hinode

O novo aroma da Hinode

Mais conhecida por seus produtos de perfumaria, a Hinode está adicionando um novo aroma ao seu portfólio: uma linha de cafés especiais com versões em cápsulas, em pó e solúvel. “A entrada em um novo segmento era uma demanda das nossas consultoras”, diz Alessandro Rodrigues, vice-presidente de marketing da Hinode. Os produtos serão vendidos pelas 750 mil consultoras da marca, com a opção de pedidos pelo canal de e-commerce. Os cafés fazem parte da HND, bandeira de bem-estar que responde por 8% da receita da grupo, dono de um faturamento de R$ 2,5 bilhões. Com a novidade, a expectativa é de que essa participação salte para 14,1% no prazo de um ano.

(Nota publicada na Edição 1087 da Revista Dinheiro, com colaboração de: Hugo Cilo, Moacir Drska e Pedro Borg)


Mais posts

Volkswagen quer liderança, mas com fair play

Nenhum dos 20 novos carros que a alemã Volkswagen vai lançar no Brasil até 2020, dentro de um plano de investimento de R$ 7 bilhões, [...]

Roteiro bilionário

A Tour House, especializada em viagens corporativas, definiu um novo roteiro: faturar entre R$ 1,2 bilhão e R$ 1,5 bilhão em 2020. [...]

Vai dar praia

Nem só de ternos e gravatas vive o mundo das grifes de luxo. Tanto é que os empresários Michel Lassner (à esq.) e Alexandre Reitzfeld, [...]

O voo da Frente Corretora

A Frente Corretora de Câmbio está reinventando o mercado de venda de papel moeda. Com modelo inovador, que negocia dólar via [...]

Improviso na Saúde

Mesmo os mais bem relacionados interlocutores da indústria farmacêutica estão encontrando dificuldades para agendar conversas com o [...]
Ver mais
X

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.