O negócio nada virtual de João Appolinário

O negócio nada virtual de João Appolinário

O empresário João Appolinário, fundador e CEO da Polishop, uma das maiores empresas de varejo do Brasil, se prepara para vender mais do que os produtos que anuncia em seus catálogos, em seus programas de televisão, no site e em suas mais de 250 lojas espalhadas pelo Brasil. Appolinário agora vai comercializar soluções de realidade aumentada e realidade virtual. O empresário é dono de 40% da Flex Interativa, uma agência especializada nesse tipo de produto, e vinha testando todas as tecnologias desenvolvidas pela companhia dentro da Polishop. “Foi o nosso laboratório para poder oferecer para outras empresas”, diz Appolinário. “Nos últimos seis meses, colocamos realidade aumentada e virtual nos produtos que estavam na loja e na nossa revista”, diz Appolinário. Basta baixar um aplicativo e apontar para o produto: ou vem um holograma com uma mensagem ou um vídeo explicando as funcionalidades do objeto.

 

Do Brasil para o mundo

Com o uso constante da tecnologia e maior envolvimento com a Flex Interativa, Appolinário resolveu botar o projeto debaixo do braço e já está contatando alguns varejistas de seu relacionamento. “Custa entre R$ 50 mil e R$ 150 mil com o desenvolvimento do aplicativo e cinco ações incluídas. O que torna mais caro é se o cliente quiser animação em 3D”, diz o empresário, que conheceu a agência em um dos episódios do programa Shark Tank Brasil, do canal Sony, no qual é um dos jurados. “Num primeiro momento, investi comprando 20% da companhia. Depois, resolvi comprar mais 20% do negócio.” A aposta é tão alta que, recentemente, Appolinário se reuniu com varejistas americanos nos Estados Unidos para mostrar as soluções da Flex. No Brasil, diz o empresário, empresas como Ipiranga e Henkel já usaram a tecnologia em produtos e treinamentos.

(Nota publicada na Edição 1081 da Revista Dinheiro, com colaboração de: Carlos Eduardo Valim, Márcio Kroehn e Moacir Drska)

Veja também

+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial

+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”

+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?


Mais posts

New Hoslland busca mais eficiência

Em meio à crise, o agronegócio brasileiro vai muito bem, obrigado. O setor vive a expectativa da maior safra de grãos da história, com [...]

Gigante dos seguros, Wiz avança no crédito

A Wiz, que hoje é corretora exclusiva da Caixa Seguradora e detém 40% dos balcões dos Banco Inter e BMG, ensaia um novo salto no [...]

A tropicalização da The Body Shop

Com lojas fechadas e varejo em retração, a grife de cosméticos The Body Shop, do grupo Natura&Co, deu início a um processo de [...]

E-commerce turbina a logística da LOG

Os primeiros nove meses de 2020 foram os mais difíceis da vida para muitas empresas e setores, mas foram os melhores para a LOG, [...]

Conexão Brasil-África

A operação brasileira do maior banco do continente africano, o Standard Bank, com sede em Joanesburgo, pretende restaurar a boa relação [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.