Tecnologia

O mundo real dos games

Crédito: Divulgação

Foi-se o tempo em que jogar videogame era só um passatempo, um lazer. Os jogos eletrônicos movimentaram R$ 180 bilhões em 2020 e desperta a atenção das marcas, que visam colocar seus produtos e serviços em evidência para o público que consome games e cresce a cada dia.

O McDonalds e O Boticário são as mais novas marcas a montaram lojas virtuais dentro de games. A rede americana de fast food escolheu o popular Minecraft e o The Sims 4 para inaugurar dento de seus mapas réplicas do Méqui 1000, da Avenida Paulista, em São Paulo.

Além de encontrar e visitar o espaço virtual, é possível fazer pedidos para os lanches chegarem na sua casa de verdade.

Divulgação

Já a empresa brasileira de cosméticos e perfumes entrou nos games com ações no Avakin Life, um mundo virtual em 3D em que os jogadores criam um avatar e interagem com outros, numa espécie de plataforma social. Até o dia 22 de março, O Boticário promove uma série de ativações que serão explicadas pela consultora virtual Thaty.

Dentro do jogo, na praça Brasil, uma loja da marca foi transformada em um hub in-game, onde é possível resgatar as recompensas e atividades de que participarem por meio de pontos (BotiCoins), além de adquirir produtos. É o real cada vez mais integrado ao virtual. E o virtual no real, no jogo da vida.

(Nota publicada na edição 1211 da Revista Dinheiro)

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel