Live da Dinheiro

“O ministro interino pediu para que eu fosse a Brasília ajudar”, diz Carlos Wizard sobre o Ministério da Saúde. Assista ao vídeo

Crédito: Divulgação

O empresário Carlos Wizard: desfiliação do PSDB depois de conversa com família (Crédito: Divulgação)


O empresário Carlos Wizard Martins, fundador do Grupo Sforza Holding, disse, durante entrevista por live à revista Dinheiro, hoje (19), que foi convidado pelo ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, para participar do comitê de avaliação dos contratos e movimentação financeira do Ministério da Saúde. “O ministro pediu para que eu fosse a Brasília. Questionei no que eu poderia ajudar e ele só disse que precisava de mim. Chegando, descobri que a minha missão é acompanhar os grandes fornecedores da pasta”, explica Martins.

Wizard inaugurou hoje uma série de lives promovidas por IstoÉ Dinheiro com figuras de destaque do mundo da economia. Durante sua entrevista, concedida em Brasília do prédio do ministério, Pazuello fez uma breve aparição no vídeo. O deputado federal Osmar Terra também estava no momento. O empresário conta que conheceu o ministro interino durante seu projeto de ajuda a refugiados venezuelanos em Roraima.

+ O segundo empreendimento humanitário de Carlos Wizard

+ Pazuello nomeia mais militares no Ministério da Saúde

Na ocasião, em entrevista a Celso Masson, diretor de núcleo da Editora Três,Wizard ainda desmentiu o convite para o Ministério da Educação e disse que já não é mais filiado ao PSDB. “Fui convidado pelo governador de São Paulo, João Dória, para ser candidato à prefeitura de Campinas. Mesmo sem ter aceitado, eu precisava me filiar ao partido pela data limite da legislação. Porém, depois de me reunir com a minha família declinei o convite e sai da legenda”, afirma.

O Grupo Sforza Holding detém marcas de alimentação como Mundo Verde, Pizza Hut, KFC e Taco Bell. Além disso, faz parte do portfólio da empresa a escola de inglês Wise Up. Em outubro do ano passado, a marca de educação lançou o formato de curso online, que não foi muito procurado pelo público. Entretanto, segundo Martins, essa realidade mudou durante o isolamento social em decorrência do novo coronavírus. “Hoje estamos fechando 1 mil matrículas por dia; as pessoas agora estão com tempo para cursos como esse”, ressaltou.

Como perspectivas para as empresas no pós-pandemia, Wizard acredita que a tecnologia será a saída. “As empresas vão se redefinir. Elas estão trabalhando com menos funcionários nesse momento e vão manter esse quadro reduzido. Vejo que também vai aumentar o número de trabalhadores em home office. Cada vez mais a tecnologia estará presente no mundo corporativo”, finaliza.

Veja a seguir a entrevista completa com Carlos Wizard:

https://youtu.be/iq01uEHWM7M