Edição nº 1048 08.12 Ver ediçõs anteriores

O megaataque hacker

O megaataque hacker

A Equifax, uma das três maiores empresas de gestão de crédito dos Estados Unidos, foi vítima de um gigantesco ataque hacker que expôs os dados de 143 milhões de pessoas. A invasão ocorreu ainda no mês de julho, mas só foi revelada no início de setembro pela própria companhia. Os criminosos exploraram falhas de segurança nos bancos de dados da empresa e conseguiram acesso a nomes, datas de nascimento, endereços e números de carteiras de motoristas. Além disso, 203 mil pessoas tiveram seus dados de cartões de crédito roubados, enquanto 182 mil consumidores viram seus documentos pessoais caírem na mão dos hackers. Para piorar a situação da Equifax, três executivos da empresa, incluindo o diretor financeiro John Gamble, venderam as ações que possuíam da companhia por cerca de US$ 1,8 milhão dias após o ataque, bem antes de notificarem os consumidores. O caso está sendo investigado nos Estados Unidos.

(Nota publicada na Edição 1036 da Revista Dinheiro)


Mais posts

A tacada de US$ 82 mi na Movile

O fundo de investimentos sul-africano Naspers e o brasileiro Innova Capital estão injetando mais US$ 82 milhões na operação da Movile, [...]

Resposta instantânea

Cynthia Bianco, presidente da MicroStrategy no Brasil, empresa que atua com softwares de análise de dados

Realidade virtual cara

A Sony anunciou a chegada do dispositivo de realidade virtual PlayStation VR ao Brasil. O gadget é composto por um visor, uma câmera e [...]

Som na caixa … e na internet

(Nota publicada na Edição 1048 da Revista Dinheiro)

Tencent quer fatia do Spotify

Maior empresa digital da China, com valor de mercado de US$ 468 bilhões, a Tencent está de olho na sueca Spotify, comandada por Daniel [...]
Ver mais

Copyright © 2017 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.