Negócios

O mago do fast-food

Com Taco Bell, KFC e Pizza Hut, o bilionário Carlos Wizard Martins mostra apetite por um segmento que não para de crescer

Crédito: Anna Carolina Negri/Valor

Wizard Martins: “Com a melhora da economia, esse segmento vai disparar” (Crédito: Anna Carolina Negri/Valor )

O empresário Jorge Paulo Lemann, que controla gigantes como Ambev, Kraft Heinz e Burger King, parece não ser o único bilionário brasileiro a enxergar uma mina de ouro do setor de alimentos. Na semana passada, o empresário Carlos Wizard Martins mostrou que está disposto a concorrer pelo posto de “Mago do fast-food” ao fechar um acordo para comprar as operações da Pizza Hut e KFC no Brasil. As marcas pertencem à americana Yum! Brands, maior empresa de restaurantes do mundo, com mais de 20 mil endereços.

O valor do negócio não foi revelado. “Vamos abrir 1,5 mil restaurantes em uma década, quase a totalidade delas no modelo de franquia”, disse à Wizard à DINHEIRO. “Inicialmente, nossa prioridade será o interior de São Paulo e de Minas Gerais, mas já temos candidatos interessados nas principais capitais do País, inclusive nas regiões Norte e Nordeste.” Há dois anos, Wizard já havia trazido para o mercado brasileiro a Taco Bell, de culinária mexicana. O negócio foi fechado pela Sforza, gestora dos investimentos da família, comandada pelos filhos Charles e Lincoln.

A Pizza Hut possui, atualmente, 180 unidades franqueadas no País. A KFC, especializada em frango frito, tem 47, das quais 33 são franquias. Pelo contrato entre Wizard e a Yum! Brands, a família Wizard vai comprar as 14 unidades da KFC que pertencem à companhia americana e desembolsará R$ 60 milhões na abertura de 20 lojas próprias da bandeira, em cinco anos. Na Pizza Hut, o investimento será de R$ 75 milhões para inaugurar 35 lojas. “A rapidez com que expandimos a Taco Bell, de 20 lojas em 15 meses, levou a Yum! a nos oferecer esse negócio”, acrescenta Charles.

A nova ofensiva de Wizard diversifica ainda mais seu portfólio de negócios. Em 2013, depois de vender para a britânica Pearson o Grupo Multi, dono da rede de escolas de idiomas Wizard, por quase R$ 2 bilhões, o empresário comprou a rede de produtos naturais Mundo Verde, que conta com quase 500 unidades no País, e as escolas de ensino de futebol Ronaldo Academy. Para a especialista em gestão de negócios em franquias Ana Vecchi, Wizard está impondo um modelo raro no setor de franquias, em que o ganho de escala é pilar da estratégia. “Quanto mais unidades e mais bandeiras, maior será a força para negociar e atrair investidores”, diz Vecchi. “E o setor de fast-food vive um momento de franca expansão.”

Esse setor é, sem dúvida, um caso a ser estudado. Mesmo com a recessão, cresceu a uma taxa de 10% ao ano há mais de uma década. “Com a melhora da economia, esse segmento vai disparar”, acrescenta Wizard. Mas os desafios do bilionário serão proporcionais ao tamanho do negócio. As bandeiras Pizza Hut e KFC já são bem conhecidas do consumidor brasileiro, diferentemente da Taco Bell. “Seduzir o clientes para algo que já foi experimentado é mais difícil do que atrair para um cardápio totalmente novo”, diz Paulo Molinari, consultor de franchising.


“É uma honra ser comparado a Lemann”

Carlos Wizard Martins, em entrevista à DINHEIRO

O apetite por investimentos em alimentos e fast-food nos leva, inevitavelmente, a comparar o sr. a Jorge Paulo Lemann. Essa comparação faz sentido?
Embora nossas histórias e origens sejam bem diferentes, é uma honra para mim qualquer tipo de comparação com meu amigo Lemann, pelo que ele representa como homem de negócios visionário e empreendedor que é. Acredito que Lemann e eu temos algumas características comuns, como a confiança no Brasil, a vontade de empreender, de gerar riqueza e de oferecer oportunidades. A trajetória dele foi relatada no livro Sonho Grande e eu já estou escrevendo meu próximo livro que terá o título de Sonho Maior.

O sr. apostou em alimentos saudáveis, com a Mundo Verde, e em alimentos nem tão saudáveis, como Pizza Hut e KFC. O que motivou a fechar esse acordo?
Desde que vendi o grupo Multi e criei a gestora de investimentos Sforza, temos investido em vários setores. Procuramos boas oportunidades e acreditamos que o setor de fast-food oferece um grande potencial de crescimento, já que, mesmo na crise severa que enfrentamos nos últimos anos, continuou crescendo. Aliado a isso, nossa recente experiência com o Taco Bell no Brasil vem se mostrando muito positiva e de sucesso.

Haverá sinergias entre a Taco Bell e as bandeiras assumidas agora?
Certamente exploraremos uma série de sinergias entre as marcas, tanto operacionais quanto administrativas. Vamos conseguir melhores negociações com fornecedores e também em locação de espaço em sho-ppings.  Nos próximos dois meses atuaremos com a Yum! para a transição das marcas.

Os investimentos serão realizados com capital próprio?
Os investimentos diretos serão nossos, como máster franqueados das marcas, viabilizados com nosso próprio capital. Porém já fomos procurados por fundos interessados em ter uma fatia desse mercado muito apetitoso.