Edição nº 1088 21.09 Ver ediçõs anteriores

O inferno astral de Elon Musk não tem fim?

O inferno astral de Elon Musk não tem fim?

O empresário Elon Musk vive um inferno astral que parece não ter fim. Nos últimos meses, o fundador da Tesla tem recebido mais atenção da mídia por suas trapalhadas do que pelos feitos de suas companhias. Em julho, o empresário chamou de pedófilo um dos mergulhadores envolvidos no resgate dos 12 garotos de uma caverna da Tailândia. No mês seguinte, ele afirmou, via Twitter, que poderia fechar o capital da Tesla e entrou no alvo de uma investigação nos EUA por tentar manipular o mercado. Agora, Musk deu uma tragada que custou US$ 3 bilhões em valor de mercado para a fabricante de carros elétricos. Em 7 de setembro, ele foi filmado fumando maconha durante uma entrevista na Califórnia. Pelas leis locais, nenhum crime foi cometido, já que a droga é permitida para uso recreativo na região. Porém, a atitude não pegou bem entre os investidores, que desvalorizaram a companhia em 6%. Desde julho, os episódios envolvendo Musk fizeram com que o valor de mercado da Tesla passasse de US$ 63 bilhões para US$ 49 bilhões.

(Nota publicada na Edição 1087 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Sabotagem na Amazon

A Amazon está investigando um possível caso de sabotagem de seus serviços. De acordo com o jornal americano The Wall Street Journal, a [...]

Liderança roxa

A Nubank é a startup brasileira melhor colocada em um levantamento feito pela rede social LinkedIn. O estudo, divulgado na terça-feira [...]

Resposta instantânea

Mariano Gomide, co-CEO da VTEX, desenvolvedora de soluções de computação em nuvem para e-commerces

Sinal ruim

As vendas de celulares no Brasil caíram no primeiro semestre do ano. De acordo com a consultoria IDC, foram vendidos 24,1 milhões de [...]

Turista espacial

O empresário japonês Yusaku Maezawa é o primeiro cliente da SpaceX, empresa de exploração espacial do bilionário Elon Musk. Com fortuna [...]
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.