Edição nº 1057 16.02 Ver ediçõs anteriores

O incrível salto do Magazine Luiza, que já vale mais que a Natura

O incrível salto do Magazine Luiza, que já vale mais que a Natura

Frederico Trajano, CEO do Magazine Luiza

A rede varejista Magazine Luiza se tornou um fenômeno na Bolsa. Em pouco menos de dois anos, seu valor de mercado saltou de menos de R$ 300 milhões, em janeiro de 2016, para R$ 13,2 bilhões, na segunda-feira 4.

É um desempenho impressionante que a coloca à frente da Natura em valor de mercado – a fabricante brasileira de cosméticos valia R$ 12,4 bilhões ontem.

A companhia comandada por Frederico Trajano só está atrás de Lojas Americanas – a varejista mais valiosa da B3 – Raia Drogasil, Lojas Renner e Grupo Pão de Açúcar.

Em 2016, seus papéis valorizaram-se incríveis 501,5%. Neste ano, as ações subiram, até ontem, 488,5%. O Ibovespa acumula alta de 19,8% em 2017.

Esse incrível salto acontece desde que Fred, como é conhecido o filho de Luiza Helena Trajano, assumiu o comando da tradicional rede varejista, em janeiro do ano passado.

– Leia entrevista com Frederico Trajano, realizada antes de assumir o Magazine Luiza

O foco da gestão do executivo foi aprofundar a integração das lojas físicas com o canal digital. No segundo trimestre, as vendas online já representavam 28% da receita da varejista, tendo crescido 55%.

Mas a grande aposta do Magazine Luiza é o seu e-marketplace, no qual funciona como uma vitrine virtual para que terceiros vendam produtos em seu site de comércio eletrônico.

No segundo trimestre, a empresa contava com mais de 250 varejistas vendendo em seu site. Um ano antes, eram apenas 50. O número de itens vendidos passou de 80 mil para 550 mil.

Um relatório do Bradesco BBI, de janeiro deste ano, colocou o Magazine Luiza como a melhor empresa posicionada entre os varejistas tradicionais e virtuais para ter sucesso em sua estratégia, em comparação com a B2W (Submarino e Americanas.com) e a Via Varejo (Casas Bahia e Extra).

“Ainda estamos nos primeiros passos, mas a importância do serviço para negócio tradicional de varejo sugere que a Magazine Luiza tem os meios para atrair os compradores e os vendedores”, diz um trecho do relatório.

Os desafios que Fred tem pela frente não são triviais. Em e-marketplaces, o argentino Mercado Livre é um campeão difícil de ser batido.

A Amazon, de Jeff Bezos, também aumentará seus investimentos nessa área no Brasil. Ela já está trabalhando com livros e, em breve, entrará em eletroeletrônicos. Uma equipe foi contratada para tocar essa estratégia no Brasil.


Mais posts

Com fama de perder dinheiro, Amazon lucra por 11 trimestres consecutivos

O resultado do quarto trimestre de 2017 da Amazon foi recorde: lucro líquido de US$ 1,9 bilhão

Mercado Livre passa a emprestar dinheiro aos lojistas de seu marketplace

Depois de testar modelo por seis meses no Brasil, companhia anuncia a criação da divisão Mercado Crédito

Eike Batista anuncia no Twitter que está de volta

Em dois posts, o empresário avisou seus mais de 1,2 milhão de seguidores a ficarem ligados em seu novo canal no YouTube e Instagram, [...]

Por que o Walmart busca um sócio para a sua operação brasileira

Desde que decidiu unificar as operações online e offline, a varejista americana Walmart convive com os rumores de que vai deixar o [...]

Twitter conseguirá conquistar os insatisfeitos com mudanças do Facebook?

Rede social está diante de uma oportunidade de ouro desde que o Facebook anunciou mudanças no seu “news feed”
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.