O grande desafio do agronegocio

O grande desafio do agronegocio

Na verdade, trata-se de um desafio mortal de imagem, como bem classificou o economista José Roberto Mendonça de Barros. E a questão chave para tamanho problema está na condução desastrosa da política ambiental brasileira que vem, às vistas do governo e com o beneplácito do próprio mandatário, deixando avançar sem controle as práticas criminosas de desmatamento e queimadas. O combate a tais ameaças virou uma quimera. O jogo de cena federal misturado à burocracia proposital para a adoção de medidas agrava o quadro. O presidente e sua equipe tentam agora atenuar o desgaste. Chamaram para o diálogo empresários e investidores dos fundos internacionais, que estavam reclamando, com razão, do descontrole na proteção ambiental, para explicar e prometer futuras ações. Falou-se em decreto que autorizou a fiscalização pelas Forças Armadas para o combate aos focos de incêndio. Foi reiterada uma mudança de postura e até compromisso de selar a paz com interlocutores estrangeiros, para evitar prejuízos ao agronegócio. Mas nada disso deixou a firme convicção de que a atual gestão irá mesmo mudar de postura. Ao contrário. No tocante às tropas militares, prometidas desde janeiro deste ano, quando o vice-presidente Mourão foi recrutado para tratar diretamente do tema, elas não estarão constituídas antes do ano que vem. O agronegócio, nesse caldeirão de tensões, é, indiscutivelmente, o maior prejudicado. As chances de retaliações ao comércio de nossas commodities crescem dia a dia. E justamente nesse momento em que o Brasil volta a assumir a liderança mundial em produção de soja, por exemplo. O presidente Bolsonaro não parece disposto a ceder em suas convicções e elas incluem uma vista grossa ao avanço de garimpeiros e grileiros em terras indígenas, além de pseudo produtores rurais, que servem de posto avançado no território que Messias jamais aceitou ser tão vasto em favor das tribos. O climão entre empresários, investidores e a equipe do Planalto permanece onde estava. Ainda não foi completamente digerida a ideia levantada pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, de querer “passar a boiada” de legislações que estimulariam a exploração descontrolada. Aliás, sua infeliz expressão e intento foram assuntos de reunião na ONU, na qual participantes do Conselho de Direitos Humanos questionaram o que entendem como o desmonte de políticas ambientais por parte do governo. É de surpreender que Bolsonaro, ministro e auxiliares não percebam o grau de estrago que a gestão ideológica nesse campo vem causando a mais promissora atividade produtiva do PIB nacional, que é o agronegócio. Para um País que se diz pulmão verde do planeta e celeiro de alimentos do mundo é um contrassenso provocar os clientes dessa riqueza.

Veja também

+Caixa paga hoje (13) auxílio emergencial para nascidos em maio

+Soros produzidos por cavalos têm anticorpos potentes para covid-19

+ Avó de Michelle Bolsonaro morre após 1 mês internada com covid-19

+ Nazistas ou extraterrestres? Usuário do Google Earth vê grande ‘navio de gelo’ na costa da Antártida

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?


Sobre o autor

Carlos José Marques é diretor editorial da Editora Três e escreve semanalmente os editoriais da revista DINHEIRO


Mais posts

Começaram pelo fim

A grande indagação que fica desse início da trajetória da votação da Reforma Tributária, que finalmente o governo entregou ao [...]

A ameaça ao teto

Ninguém esconde mais, nem dentro do Governo, nem no Congresso, muito menos entre entidades que pressionam por recursos, o movimento [...]

Reforma em fatias

Há algo de muito desarticulado nas prioridades definidas pelo Governo. Mais de um ano e meio de gestão depois se tomou conhecimento, [...]

O plano tributário

O governo começa a dar traços do que pretende no plano tributário. O ministro Paulo Guedes surpreendeu a todos voltando a falar de uma [...]

A perda do dinheiro verde

Nos últimos dias o País foi tomado pela notícia de que o mundo não irá mais tolerar os abusos de desmatamento e queimadas praticados [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.