O grande desafio do agronegocio

O grande desafio do agronegocio

Na verdade, trata-se de um desafio mortal de imagem, como bem classificou o economista José Roberto Mendonça de Barros. E a questão chave para tamanho problema está na condução desastrosa da política ambiental brasileira que vem, às vistas do governo e com o beneplácito do próprio mandatário, deixando avançar sem controle as práticas criminosas de desmatamento e queimadas. O combate a tais ameaças virou uma quimera. O jogo de cena federal misturado à burocracia proposital para a adoção de medidas agrava o quadro. O presidente e sua equipe tentam agora atenuar o desgaste. Chamaram para o diálogo empresários e investidores dos fundos internacionais, que estavam reclamando, com razão, do descontrole na proteção ambiental, para explicar e prometer futuras ações. Falou-se em decreto que autorizou a fiscalização pelas Forças Armadas para o combate aos focos de incêndio. Foi reiterada uma mudança de postura e até compromisso de selar a paz com interlocutores estrangeiros, para evitar prejuízos ao agronegócio. Mas nada disso deixou a firme convicção de que a atual gestão irá mesmo mudar de postura. Ao contrário. No tocante às tropas militares, prometidas desde janeiro deste ano, quando o vice-presidente Mourão foi recrutado para tratar diretamente do tema, elas não estarão constituídas antes do ano que vem. O agronegócio, nesse caldeirão de tensões, é, indiscutivelmente, o maior prejudicado. As chances de retaliações ao comércio de nossas commodities crescem dia a dia. E justamente nesse momento em que o Brasil volta a assumir a liderança mundial em produção de soja, por exemplo. O presidente Bolsonaro não parece disposto a ceder em suas convicções e elas incluem uma vista grossa ao avanço de garimpeiros e grileiros em terras indígenas, além de pseudo produtores rurais, que servem de posto avançado no território que Messias jamais aceitou ser tão vasto em favor das tribos. O climão entre empresários, investidores e a equipe do Planalto permanece onde estava. Ainda não foi completamente digerida a ideia levantada pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, de querer “passar a boiada” de legislações que estimulariam a exploração descontrolada. Aliás, sua infeliz expressão e intento foram assuntos de reunião na ONU, na qual participantes do Conselho de Direitos Humanos questionaram o que entendem como o desmonte de políticas ambientais por parte do governo. É de surpreender que Bolsonaro, ministro e auxiliares não percebam o grau de estrago que a gestão ideológica nesse campo vem causando a mais promissora atividade produtiva do PIB nacional, que é o agronegócio. Para um País que se diz pulmão verde do planeta e celeiro de alimentos do mundo é um contrassenso provocar os clientes dessa riqueza.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?


Mais posts

O isolamento como opção

Se a ideia é acabar de vez com qualquer possibilidade de o Brasil permanecer como um player relevante no tabuleiro das nações,o governo Bolsonaro e seus achegados estão no caminho certo. O rebento zero três, Eduardo Bolsonaro, resolveu por esses dias pregar mais uma estaca no muro que está distanciando o País da boa relação […]

Valentia fora de hora

Como se já não estivessem bem estremecidas as relações do governo brasileiro com organismos multilaterais e a comunidade internacional, [...]

O Brasil na era Biden

Dois cenários concretos estão montados a partir da confirmação de troca de comando na Casa Branca. Dentro do governo brasileiro, a [...]

A casa da mãe Joana

Ninguém se entende mais dentro do poder central e o clima de animosidade vai aumentando à medida que os sinais de crise financeira vão [...]

O Brasil com Biden

Não dá mais para descartar a hipótese, cada vez mais concreta, de um novo governo nos EUA com o qual a bajulação bolsonarista não terá [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.