O game das celebridades milionárias

Crédito: Divulgação

Steve Zhau é um millennial muito esperto. Há três anos, ele fundou do nada uma startup de games de realidade virtual, a Sandbox VR, e esta semana, aos 36 anos, acabou de somar US$ 11 milhões a seu capital, já na casa dos US$ 79 milhões. Foi só a terceira rodada de investimentos, para uma companhia de seis pessoas, que virou hype até entre celebridades. Além de já ter recebido, no começo do ano, aporte de US$ 68 milhões reunido pelo papa do capital de risco do Vale do Silício, Andreessen Horowitz, – que já apostou em empresas como Oculus, AirBnb, Lyft e Pinterest –, a Sandbox agora atrai gente do show business como Justin Timberlake e Katy Perry, os atores Will Smith e Orlando Bloom e atletas como Kevin Durant e Keisuke Honda. Todos colocaram alguns milhares de dólares na terceira rodada. A empresa não tem segredo: abre salas com rede digital grátis para até oito jogadores brincarem com seus notebooks em mochilas. O game, além de propor uma reunião entre amigos, usa o corpo todo dos jogadores para ativar os movimentos dos personagens, só presentes nos óculos especiais típicos de RV. Mais incrível é o jeito que Zhau seduz os investidores a apostar na Sandbox VR: ele faz barulho o bastante para usar a tática do Fomo (Fear of missing out). Traduzindo: todo mundo, de milionários a ilustres famosos, está com medo de ficar de fora do badalado crescimeno da Sandbox VR.

(Nota publicada na Edição 1144 da Revista Dinheiro)





+ Confira 10 receitas para reaproveitar ou turbinar o arroz do dia a dia



Sobre o autor


Mais colunas e blogs


Mais posts

Ver mais

Copyright ©2022 - Três Editorial Ltda.
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.