O futuro é dos geeks

O futuro é dos geeks

A rede de escolas Happy Code, criada em 2015 com a proposta de ensinar programação para crianças a partir de cinco anos, está enfrentando um bom problema: o de programar seu próprio crescimento. “Desde o início, tudo tem acontecido acima das expectativas. Nossa primeira unidade atingiu em 45 dias os números que esperávamos para seis meses”, disse o cofundador César Martins. Até a final deste ano, a empresa prevê dobrar de 10 mil para 20 mil alunos, enquanto número de unidades deve saltar de 130 para 200. A rede possui também 15 endereços em Portugal e um em Angola. “Existe uma grande demanda por qualificação entre jovens e crianças, que sabem que as profissões do futuro serão ligadas a novas tecnologias.” O faturamento da Happy Code em 2018 foi de R$ 18,5 milhões. Neste ano, deve fechar em R$ 30 milhões.

(Nota publicada na Edição 1132 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Um turnaround à brasileira

O executivo brasileiro Antonio Cassio dos Santos, CEO da seguradora italiana Generali para Américas e Sul da Europa, orquestrou uma [...]

Multiplicação canadense no Brasil

A rede de escolas Maple Bear, de ensino bilíngue, faturou R$ 712 milhões no ano passado, mais que o dobro dos R$ 350 milhões do [...]

Quem manda é o coração

No mundo dos negócios, a razão tem menos importância do que a emoção. É o que afirma Pedro Superti, tido como um papa do marketing de [...]

Zendesk faz em 4 horas o trabalho de 10 dias

A Zendesk, empresa americana de tecnologia, com operação em 17 países, está eufórica com suas ferramentas de Inteligência Artificial, como o Guide e o Answer Bot. As duas soluções combinadas, adquiridas pela empresa de recrutamento Gupy, tem capacidade de analisar os perfis de 8 mil candidatos em apenas quatro horas, trabalho que antes demorava dez […]

O primeiro bilhão da Indie Capital

A gestora de investimentos Indie Capital, de Daniel Reichstul e Felipe Montagna, registrou em 2019 seu melhor ano. Com rendimento [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.