Dinheiro em Ação

O copo meio cheio dos resultados da BRF

O copo meio cheio dos resultados da BRF

Papéis avulsos

Há duas maneiras de encarar o avanço de 850% no prejuízo da BRF, que cresceu para R$ 1,58 bilhão no segundo trimestre deste ano, ante R$ 167,3 milhões no mesmo período de 2017. À primeira vista, a empresa sofreu com a greve dos caminhoneiros e com a alta do dólar, que elevou os preços de seus insumos. Porém, na avaliação dos analistas, a gestão de Pedro Parente está saneando o balanço da companhia, contabilizando provisões decorrentes da Carne Fraca e outras perdas. Segundo Pedro Galdi, analista da corretora Mirae, o volume vendido cresceu 4% no trimestre, para 1,2 milhão de toneladas. “Os planos de arrecadar R$ 5 bilhões com venda de ativos e de reduzir o quadro de pessoal em 5% serão positivos”, escreveu Galdi. Ele recomenda a compra das ações, que caíram 44,8% no ano.

 

Mercado

Volatilidade eleva ganho da B3

O lucro da B3 disparou no segundo trimestre deste ano. Entre abril e junho, a cifra da última linha do balanço da empresa resultante da fusão entre a BM&FBovespa e a Cetip subiu 343%, de R$ 163 milhões em 2017 para R$ 724 milhões neste ano. O resultado mostrou um forte aumento de eficiência. No mesmo período, a receita também cresceu, mas em um percentual menor. No segmento Bovespa, o movimento financeiro avançou 47,3%, para uma média diária de R$ 12,5 bilhões, máximo histórico. “O volume de negócios atingiu níveis recordes, principalmente pelo aumento da volatilidade”, diz Gilson Finkelsztain, presidente da B3. No segundo trimestre, o faturamento foi de R$ 1,25 bilhão, alta de 28,9% em relação aos R$ 970 milhões do mesmo período de 2017. No ano, as ações sobem 3,9%.

 

Bancos

Resultado do BB supera expectativas

O lucro do Banco do Brasil superou as expectativas do mercado. No segundo trimestre deste ano, o banco estatal lucrou R$ 3,1 bilhões, alta de 19,7% em relação ao mesmo período de 2017. A carteira de crédito caiu 1,7% no período, para R$ 686 bilhões. Mesmo assim, o total de empréstimos para a pessoa física, mais rentáveis, avançaram 2,1%, para R$ 190 bilhões. O retorno sobre o patrimônio líquido subiu para 15,1%, ante os 14,4% registrados no fim do primeiro trimestre deste ano. Desde dezembro de 2017, as ações do BB sobem 5,5%.

 

Locação de veículos

Locamerica e Movida aceleram

Os resultados das locadoras de veículos Locamerica e Movida mostram o bom momento do setor. O lucro da Locamerica cresceu 389%, avançando para R$ 48 milhões no segundo trimestre deste ano ante R$ 9,8 milhões no mesmo período do ano passado. Foi a primeira vez que a companhia divulgou resultados consolidados com os da Unidas, adquirida em dezembro do ano passado. Os resultados da Movida também aceleraram. O lucro cresceu 258%, passando de R$ 11,1 milhões no segundo trimestre de 2017 para R$ 39,9 milhões no mesmo período deste ano. Em 2018, as ações da Locamerica sobem 54,6%. As da Movida recuam 4,6%.

 

Touro x Urso

O mercado reagiu mal ao aprofundamento da crise na Turquia, que vem provocando uma forte turbulência financeira nos países emergentes. Além da crise turca, a ansiedade provocada pela aproximação das eleições tem feito os preços das ações oscilar. No mês, até a quarta-feira 16, a alta acumulada do Ibovespa foi de 2,9%.

 

Destaque no pregão

O petisco da M. Dias Branco

A fabricante de massas e biscoitos M. Dias Branco saciou o apetite dos investidores no segundo trimestre deste ano. A companhia divulgou um lucro líquido de R$ 209,7 milhões, alta de 5,2% em relação ao mesmo período de 2017. A empresa registrou um faturamento líquido de R$ 1,48 bilhão, aumento de 7,8% em relação ao mesmo período de 2017. Após a divulgação dos resultados, os preços das ações avançaram para R$ 42,65 no fechamento da terça-feira 14, avanço de 16,1% ante o pregão anterior. O que animou os investidores foram as causas do avanço no faturamento. As vendas cresceram apenas 1,4%, mas o preço médio dos produtos avançou 6,3%, acima da inflação acumulada no período.

Palavra do analista:
Os analistas do BTG Pactual informaram que os resultados ficaram acima do esperado e recomendam a compra das ações. Outras empresas de análise concordam. Raul Lemos, analista da Eleven Financial, estabelece um preço-alvo de R$ 55 para os papéis, alta potencial de 29%.

 

 

Mercado em números

BNDES
R$ 4,76 bilhões – Foi o lucro do banco estatal no primeiro semestre deste ano, alta de 253,9% em relação ao primeiro semestre de 2017

RUMO
R$ 1,66 bilhão – Foi o faturamento da empresa de logística no segundo trimestre deste ano, alta de 10,5% em relação ao mesmo período de 2017

SÃO MARTINHO
R$ 771 milhões – Foi o faturamento da usina de etanol e açúcar no segundo trimestre deste ano, queda de 11,1% em relação ao mesmo período de 2017

LOCALIZA
307% – Foi o crescimento do lucro recorrente da locadora de veículos no segundo trimestre, que avançou para R$ 51,3 milhões ante R$ 12,6 milhões do mesmo período de 2017

ESTÁCIO
42,5% – Foi a alta do lucro da empresa de educação no segundo trimestre deste ano. O resultado subiu para R$ 236,9 milhões, ante R$ 166,2 milhões do mesmo período de 2017