Giro

O consumo regular de álcool aumenta o risco ao coração

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

O consumo excessivo de álcool tem sido associado a um risco maior de desenvolver insuficiência cardíaca, que pode então levar a um ritmo cardíaco irregular. (Crédito: Arquivo/Agência Brasil)

Beber, mesmo uma pequena quantidade de álcool, pode aumentar o risco de uma pessoa ter fibrilação atrial (Afib), de acordo com uma nova pesquisa publicada no European Heart Journal. Rastreando dados de mais de 107 mil pacientes, os pesquisadores descobriram que beber apenas uma bebida alcoólica por dia – uma única cerveja ou um copo de vinho, por exemplo – está associado a um aumento de 16% no risco de AFib de uma pessoa.

A fibrilação atrial, também conhecida como AF ou Afib, é um ritmo cardíaco irregular e muitas vezes muito rápido. Isso pode causar sintomas como palpitações, fadiga e falta de ar.

+ Cientistas testam vacina para esclerose múltipla e verificam reversão da doença
+ Veja como vai funcionar o auxílio-doença em 2021

O consumo excessivo de álcool tem sido associado a um risco maior de desenvolver insuficiência cardíaca, que pode então levar ao AFib – mas este estudo mais recente indica que a relação entre o álcool e o AFib é mais complexa do que os pesquisadores acreditavam anteriormente.



“Até onde sabemos, este é o maior estudo sobre o consumo de álcool e a incidência de AFib em longo prazo na comunidade”, diz Renate B. Schnabel, cardiologista e autor principal do estudo, em um comunicado. “Estudos anteriores não tiveram poder suficiente para examinar esta questão, embora tenham sido capazes de mostrar uma relação entre a ingestão de álcool e outros problemas cardíacos e dos vasos sanguíneos, como ataque cardíaco e insuficiência cardíaca. Em nosso estudo, podemos agora demonstrar que mesmo o consumo regular de álcool muito baixo pode aumentar o risco de AFib”.

Schnabel também observou que, ao longo dos anos, beber uma pequena quantidade de álcool tem sido visto regularmente como um movimento saudável que pode beneficiar o coração de uma pessoa. Isso ainda deve ser considerado uma recomendação geral daqui para frente?

“Essas descobertas são importantes porque o consumo regular de álcool, a ‘uma taça de vinho por dia’ para proteger o coração, como muitas vezes é recomendado, por exemplo, na imprensa leiga, provavelmente não deve mais ser sugerido sem equilibrar os riscos e possíveis benefícios para todas as doenças cardíacas e dos vasos sanguíneos, incluindo AFib ”, disse ele no mesmo comunicado.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel