Edição nº 1142 14.10 Ver ediçõs anteriores

O cofre do fim do mundo

O cofre do fim do mundo

Poupar é sempre uma boa ideia para garantir a lavoura nos tempos de crise. Em caso de apocalipse, no entanto, aquele dinheiro no banco, ou embaixo do colchão, pouco vai adiantar. Por esse motivo, o governo da Noruega e o Nordic Genetic Resource Centre, organização voltada para a conservação ambiental, criaram o Svalbard Global Seed Vault, um tipo de banco diferente, cujo cofre protege uma das maiores riquezas da humanidade: as sementes. Localizado em uma ilha remota no Círculo Polar Ártico, o cofre abriga mais de um milhão de exemplares de sementes, de todo o mundo. A iniciativa, que completou dez anos na semana passada, tem como objetivo servir de reserva agrícola. Desde a sua criação, 73 instituições de países diferentes realizaram “depósitos”. O Brasil é a origem de mais de 100 mil amostras “protegidas”. Até hoje, apenas um país requisitou um “saque”, a Síria, que teve seu centro de pesquisas em agricultura destruído pela guerra.

(Nota publicada na Edição 1060 da Revista Dinheiro)


Mais posts

O impacto do vazamento de petróleo no nordeste

Depois de semanas em que o mundo se acostumou a ler notícias sobre as queimadas na Amazônia, a bola da vez é o mar brasileiro. Desde o [...]

Dias melhores na Kellogg

Para ajudar a combater a fome no País, a subsidiária brasileira da Kellogg doou, de janeiro a junho, 36,4 toneladas de alimentos para [...]

A jornada sustentável para marcas e clientes

Uma pesquisa realizada em parceria entre a Perception e a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e [...]

A aposta ecológica da Tramontina

A marca centenária Tramontina resolveu expandir seus horizontes. Por meio de uma parceria com a Braskem, a empresa está colocando no [...]

O Brasil cada vez mais longe da meta

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, tem reiterado que o Brasil está avançando a passos largos para cumprir suas metas em [...]
Ver mais