Finanças

O cheque de plástico



A proliferação de pequenas e médias empresas não passou despercebida pelas companhias de cartão de crédito. Visa e Mastercard estão de olho nos pequenos estabelecimentos que, juntos, realizam compras estimadas em US$ 63 bilhões por ano. Elas estão colocando na praça cartões de débito corporativos que pretendem substituir cheques, dinheiro vivo e fichas de compensação. ?Vamos oferecer até o débito pré-datado?, diz Fernando Castejon, diretor de produtos da Visa. Bancos e empresas de cartão se dedicam com esmero na popularização do cartão de débito, alternativa mais barata e segura que o cheque. Barata porque o custo da transação é um quinto da compensação de um cheque comum. E sem risco de crédito, já que o desconto é feito diretamente na conta corrente, evitando os cheques sem fundo. Por isso os cartões de débito representam 35,8% dos pagamentos, contra uma média de 1,3% há cinco anos. O número de cheques compensados caiu 16% em três anos. O público-alvo são profissionais liberais e donos de pequenos estabelecimentos comerciais que faturam até R$ 200 mil por ano. ?Vamos emitir 100 mil cartões até o final deste ano?, diz Paulo Frossard, diretor de produtos de débito da Mastercard, que pretende lançar o seu cartão até o final do mês.