Giro

Novos hábitos online vão permanecer após o fim da pandemia de Covid-19

Crédito: Reprodução/Unsplash

O relatório prevê que os consumidores vão continuar a gerir as suas atividades do cotidiano online, incluindo trabalho home office e educação a distância (Crédito: Reprodução/Unsplash)

A pandemia de Covid-19 alterou o cotidiano das pessoas e tornou os nossos hábitos ainda mais digitais. De acordo com as previsões do mais recente estudo da Ericsson as mudanças vão continuar sendo uma realidade para pessoas em todo o mundo muito depois do fim da crise de saúde pública.

Realizado pelo ConsumerLab da Ericssom, o estudo revela informações sobre o que os entrevistados acreditam que acontecerá depois da pandemia até ao ano de 2025. O relatório prevê que os consumidores vão continuar a gerir as suas atividades do cotidiano online, incluindo trabalho home office, educação a distância e compras, acrescentando, em média, 2,5 novos serviços aos seus hábitos até 2025.

+ Premiê do Japão lamenta enfrentar pressão de realizar Olimpíada na pandemia

Como consequência do aumento das atividades na internet, estima-se que os consumidores passarão, em média, mais dez horas por semana online do que quando entraram no “novo normal”. A mudança deverá estreitar a diferença entre os internautas moderados e avançados, com o primeiro grupo a introduzir mais serviços online na sua vida diária ao longo do período da pandemia.

Os dados revelam que 75% dos consumidores preveem que a vida será orientada pela conveniência em 2025. Já sete em cada dez esperam também estar mais atentos à sua segurança e privacidade online. O estudo detalha que 64% dos consumidores esperam uma sociedade com maiores níveis de stress. Mais de três em cada cinco consumidores acreditam que será necessário ter vários empregos para manterem um rendimento decente. Ao mesmo tempo, sete em cada dez consumidores esperam viver uma vida mais saudável.

Incentivados em parte pelas preocupações ambientais, metade dos consumidores a nível global esperam comprar mais produtos e alimentos em estabelecimentos locais. Embora metade dos consumidores demonstre preocupação pelas alterações climáticas, acreditando que deveriam ser disponibilizadas opções de deslocação mais sustentáveis 67% procuram aumentar as viagens de lazer no futuro.

“Ao longo da pandemia, as tecnologias de informação e comunicação tornaram-se o principal meio para os consumidores gerirem muitos aspetos das suas vidas cotidianas, afirma Zeynep Ahmet, pesquisador sênior do ConsumerLab, do Departamento de Investigação da Ericsson.

“As nossas conclusões mais recentes sugerem que isto vai continuar durante o ‘novo normal’ e até mesmo depois. Esta tendência pode ajudar os consumidores a darem uma maior prioridade às coisas importantes da vida”, enfatiza. O responsável revela também que “é inequívoco que tanto as redes móveis como os esforços de inclusão digital desempenharão um papel crucial na construção das sociedades resilientes, inclusivas e igualitárias do amanhã.”

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago